Projeto de plantação de igrejas no Sudão do Sul alcança comunidade surda infantil

Equipe de evangelização percebeu que crianças surdas enfrentavam fome dupla — tanto física quanto espiritual.

Fonte: Guiame, com informações de MNN e Portas AbertasAtualizado: segunda-feira, 14 de fevereiro de 2022 17:56
Cristãos surdos no Sudão do Sul. (Foto: Reprodução/Doors International)
Cristãos surdos no Sudão do Sul. (Foto: Reprodução/Doors International)

Com a pandemia, as inundações sem precedentes e, como consequência, os preços cada vez mais altos dos alimentos, o Sudão do Sul vem enfrentando a fome generalizada. 

Conforme o Programa Alimentar Mundial, cerca de 2,4 milhões de pessoas correm o risco de passar fome se não receberem ajuda. A fome física, porém, não é a única necessidade no país. 

Quando as escolas reabriram, a Door International percebeu que havia uma “fome dupla” entre os alunos surdos — fome física e fome espiritual. Diante dessa realidade, o ministério de treinamento e tradução, liderado por surdos, lançou o programa 2 por 2.

“No ano passado, o ministério 2 por 2 da Door International ofereceu ajuda alimentar, especialmente durante os problemas enfrentados por conta da pandemia por Covid-19”, disse Benard Thuku, coordenador de envolvimento das Escrituras do ministério para a África Oriental.

Chance de aprender a palavra de Deus

“Estou feliz por estar de volta à escola. Em casa eu estava sentindo fome dupla. Eu não recebia comida todos os dias e também não tive a chance de aprender a Palavra de Deus. Estou tão feliz por estar aqui aprendendo e orando”, disse um dos alunos. 

Os plantadores de igrejas trabalham com alunos de escolas para surdos, porém, essas escolas fecharam durante a pandemia, cortando o vínculo com essas crianças. 

“Essa é a maneira mais eficaz de alcançar os surdos desde pequenos”, explicou Thuku.  Emmanuel Taban, que é membro da equipe 2 por 2 no Sudão do Sul, disse também: “Nós vemos o ministério escolar como um privilégio”. 

Segundo Taban, a administração da escola permite a entrada deles para apresentar a Palavra de Deus. “Eu vejo que eles estão famintos pela mensagem do Evangelho. Essas crianças estão recebendo algo que eu não recebi enquanto criança. Eles estão tendo a chance de moldar sua fé e construí-la sobre uma base sólida desde o início da vida”, enfatizou. 

Sobre a linguagem de sinais

De acordo com os organizadores do projeto, os recursos da linguagem de sinais são escassos, então as crianças gostam das ilustrações bíblicas. 

Os alunos surdos preferem as passagens sobre a Criação do livro de Gênesis. “Os surdos se conectam ao mundo principalmente através da visão. Eles nunca tiveram alguém explicando a eles de onde veio o mundo”, disse Thuku.

Agora que as escolas reabriram, os cristãos surdos podem se reunir com as crianças surdas que estão em fase de evangelização. A equipe da Door International pede orações para que possam evangelizar com eficácia e que as crianças possam crescer espiritualmente. 

Vale lembrar que quase um terço da população do país adere a bruxaria tradicional e religiões africanas, conforme a Portas Abertas. A maioria dos chefes tribais opõem-se à conversão dos membros tribais ao cristianismo. 

Além disso, ameaçam com bruxaria e, em alguns casos, instigam ataques aos seguidores de Jesus. No entanto, houve um aumento no número de cristãos sudaneses, nos últimos anos.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições