Regime comunista do Laos prende cristãos nativos e estrangeiros

O país asiático ocupa a 19º posição entre os mais difíceis e hostis para o Cristianismo.

fonte: Guiame, com informações do Evangelical Focus

Atualizado: Terça-feira, 1 Outubro de 2019 as 3:53

Igreja de Cristo na vila de Ban Na Ang, província de Luang Prabang, reunida com os membros para estudo bíblico de duas horas. (Foto: Reprodução/Netherwoodpark)
Igreja de Cristo na vila de Ban Na Ang, província de Luang Prabang, reunida com os membros para estudo bíblico de duas horas. (Foto: Reprodução/Netherwoodpark)

A República Democrática Popular do Laos, estado comunista de partido único, aprofundou as relações com o Vietnã, Coreia do Norte e China, "uma aproximação preocupante para os cristãos do país", explica a HMK (Hilfe für verfolgte Christen), uma organização suíça contra a perseguição cristã.

A HMK conversou com um pastor do Laos, um dos países onde ser cristão é muito difícil, de acordo com a Lista Mundial da Perseguição da Portas Abertas.

Inúmeras situações provocadas pelo regime do país dificulta a propagação do evangelho, bem como a realização de culto cristãos. No entanto, “a igreja no Laos está crescendo, lenta mas seguramente, mesmo sob as mais estritas restrições", diz a HMK.

Um pastor que “trabalha no país e serve ao Senhor há mais de 20 anos”, inclusive com o modelo de igreja subterrânea, conta as dificuldades que enfrenta, mas também o que faz com que a igreja avance.

“Eu trabalho com o movimento underground; por isso, muitas coisas aconteceram nas igrejas no Laos. As pessoas humildes que amavam o Senhor, quando foram salvas, abriram suas casas para adorar a Deus”, disse ele a HMK, e isso permitiu o crescimento da igreja.

O pastor explicou que “o governo local tentou impedir um deles, mas ele permaneceu firme e continuou a abrir sua casa”, no entanto, “o governo o colocou na prisão por três meses”.

“As autoridades também tiraram sua família da vila, o que foi um grande problema para eles, porque as crianças não tinham uma escola para ir e a família não podia ter água do poço público”, acrescentou.

Então, “quando a família foi visitar parentes em outra aldeia, o chefe local também não permitiu que eles fossem para lá. Depois de três meses, o homem foi libertado, mas eles não permitiram que ele voltasse ao seu posto, ele teve que ir para outro lugar”.

O pastor conta que “tentamos ajudá-los com necessidades básicas, como comida, um lugar para ficar e escola para as crianças.”

Ele disse que precisava compartilhar o que passam no Laos “para que você possa orar por nós, lembre-se de nós e também possa nos ajudar com nossas finanças”.

A HMK também informou que "em abril de 2019, três voluntários da organização cristã humanitária Vision Beyond Borders, que trabalhavam com crianças pobres e órfãs e mulheres forçadas à prostituição por traficantes, foram presos e deportados".

Eles disseram ainda que "também em abril, a polícia prendeu e espancou um cristão na província de Savannakhet, no sul, por causa de sua fé cristã.”

Violações da liberdade religiosa

A Constituição do Laos garante a liberdade religiosa, “mas apenas no papel e para promover o comércio com o Ocidente e evitar sanções internacionais. Mas na década passada, o governo aprovou e aplicou leis que violam abertamente a liberdade religiosa”, diz a HMK.

Recentemente, o governo editou o Decreto nº 238 sobre associações, que permite restringir ou proibir arbitrariamente a formação de associações, incluindo igrejas, e criminalizar associações não registradas, dando-lhes a oportunidade de processar seus membros em tribunal.

Além disso, em 2016, o governo do Laos emitiu o Decreto nº 315, sobre gestão e proteção de atividades religiosas, que contém muitas restrições adicionais relacionadas ao registro de grupos religiosos, ordenação de líderes religiosos, eventos religiosos, aceitação de dinheiro estrangeiro e viagens ao exterior ou convites de estrangeiros para o Laos.

Perigoso para os cristãos

“A ideologia do governo comunista, leis para exercer controle estrito sobre grupos religiosos e exigir seu registro, e o carimbo de cristãos como agentes americanos formam uma mistura mortal que torna extremamente perigoso neste país ser cristão ou se tornar ativo como cristão”, ressaltou a HMK.

De acordo com a organização cristã, “o governo usa toda a máquina administrativa até os anciãos da vila para impedir que as pessoas se tornem cristãs ou punem aqueles que ousam”.

veja também