Adolescente é preso por falar de Jesus a um amigo, no Paquistão

Shahzad Masih, de 16 anos, recebeu a sentença de prisão por "blasfemar" contra Maomé ao conversar sobre sua fé cristã com um amigo muçulmano.

fonte: Guiame, com informações do Christian Today

Atualizado: Quinta-feira, 20 Julho de 2017 as 12:07

Uma das vítimas mais conhecidas, que firam acusadas de blasfêmia, é Asia Bibi. (Foto: Reuters).
Uma das vítimas mais conhecidas, que firam acusadas de blasfêmia, é Asia Bibi. (Foto: Reuters).

Um menino paquistanês foi acusado de blasfêmia por falar com um colega sobre Jesus, de acordo com o site cristão World Watch Monitor. Shahzad Masih, de 16 anos, que trabalha como limpador hospitalar na cidade de Dinga, foi preso na semana passada depois que seu amigo o acusou de insultar Maomé.

O colega Ishtiaq Ahmed Jalali é membro do Tehreek-e-Tahfuz-e-Islam Pakistan, uma organização islâmica dedicada a Maomé. De acordo com o pai de Masih, surgiu uma discussão entre eles. "Meu filho havia dito que seguimos a Jesus e, em seguida, uma discussão foi formada, até o momento em que um médico interveio e os acalmou", disse ele.

No entanto, outro homem, Nadeem Ahmed, denunciou Masih à polícia e ele foi preso por blasfêmia. Um líder do Tehreek-e-Tahfuz-e-Islam no Paquistão disse a uma emissora de TV no dia seguinte: "Se o menino que cometeu a blasfêmia for absolvido da acusação, cada membro da nossa organização irá atacá-lo", alertou.

O ex-parlamentário do Punjab, Tahir Naveed Chaudhry, líder do maior partido político cristão, disse ao World Watch Monitor que ele investigou pessoalmente o assunto e descobriu que o argumento inicial era sobre as tentativas do colega de Shahzad Masih de convertê-lo ao Islã.

"Quando nosso povo tenta se defender e defender nossa fé, muitas vezes acabamos envolvidos com problemas e, posteriormente, esses casos são apresentados", disse ele. As leis de blasfêmia do Paquistão atraíram a condenação internacional. Essa legislação é frequentemente usada para estabelecer normas contra as minorias religiosas. Uma das vítimas mais conhecidas é Asia Bibi, que está no corredor da morte há muitos anos.

O caso de Bibi

Asia Bibi foi presa pela primeira vez em 2009, sendo condenada à morte em novembro do ano seguinte por supostamente ter blasfemado contra o profeta Maomé, durante uma discussão com colegas de trabalho em uma lavoura, no Paquistão.

Depois que seus colegas se recusaram a beber no mesmo copo usado por Bibi, simplesmente pelo fato dela ser cristã e, portanto, considerada "impura", ela teria respondido: "Eu acredito em Jesus Cristo, que morreu na cruz pelos pecados da humanidade. O que o seu Profeta Maomé já fez para salvar a humanidade?".

Posteriormente ela foi levada à presença de um juiz e condenada por blasfêmia - acusação essa que ela tem consistentemente negado.

veja também