Adventistas em Sergipe mobilizam campanhas contra a violência infantil

Adventistas em Sergipe mobilizam campanhas contra a violência infantil

Fonte: Atualizado: sábado, 31 de maio de 2014 09:24

Uma campanha mobilizada no facebook está causando frisson. Algumas pessoas que possuem perfil na rede social decidiram protestar contra a violência infantil. Com esse objetivo, trocaram as suas fotos dos perfis por um desenho animado. Mas nem todo mundo gostou da ideia. “Manifestação contra a violência infantil não é colocar a foto de um desenho animado no facebook. Se fosse uma frase do tipo ‘Diga não à violência infantil’ ou uma foto de uma criança violentada, aí sim seria manifestação”, opinou a estudante de jornalismo, Tatiane Diniz, 20. Larissa Baracho, 20, concorda. Ela não trocou a foto do perfil, mas tem publicado diversas frases e imagens para combater esse tipo de agressão. “Melhor do que somente trocar as fotos para desenhos animados, divulguem o contato e número de denúncia. Disque 100”, escreveu Larissa no mural do seu facebook.

Se o método de colocar desenhos em seus perfis funciona ou não, o fato é que alguma mobilização para esse assunto que é tão importante está sendo feita. Foi por causa dessa campanha inicial que Larissa, e tantos outros, decidiram se manifestar contra a violência infantil. Ao invés de ficar calada ela decidiu quebrar o silêncio. E é justamente pensando nisso que a Igreja Adventista do Sétimo Dia mobiliza milhares de pessoas anualmente, em oito países sul americanos, num projeto intitulado Quebrando o Silêncio. Segundo os idealizadores do projeto, “a campanha é uma iniciativa que oferece informações e soluções para quem é vítima e, procura também, dar oportunidades de resgate para quem é agressor”. Aqui em Sergipe, manifestações como passeatas, palestras à sociedade e entrega de revistas instrutivas sobre o assunto foram realizadas. Este ano a campanha fala sobre o bullying e outras formas de violência infantil.

No bairro Santos Dumont, por exemplo, cerca de 400 crianças e adultos participaram de uma passeata durante o desfile cívico da região. “É importante ter as próprias crianças participando desse manifesto porque assim elas mesmas pedem uma mensagem de paz à medida que são conscientizadas de que também não devem se tornar agressores”, explica o pastor Reginaldo Barros, líder espiritual da Igreja Adventista do Bairro Santos Dumont. E para quem já foi violentado, ou sofre ameaças, a indicação dada pela campanha em Sergipe é que procure um Centro de Referência da Assistência Social (CRAS) mais próximo à sua casa. “Lá eles dão todo o acompanhamento necessário para a criança e para a família, trabalhando para manter a criança em total segurança”, diz a psicóloga Paula Ramos.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições