Candidatos contam com apoio declarado de alguns líderes evangélicos

Candidatos contam com apoio declarado de líderes evangélicos

Atualizado: Quarta-feira, 1 Agosto de 2012 as 9:24

A divulgação dos dados do Censo 2010 sobre o número de evangélicos no país, os candidatos e partidos eleitorais têm criado estratégias para atrair esses eleitores.

“Tenho sido bombardeado de Norte a Sul, de Leste a Oeste pelos candidatos. Com o crescimento da Igreja Evangélica, e como estou na mídia e tenho influência, é gente atrás o tempo todo”, afirma o pastor Silas Malafaia, um dos líderes religiosos mais conhecidos do Brasil.

Quatro igrejas pentecostais já definiram os candidatos que receberão apoio na corrida à prefeitura.  Em São Paulo, a Convenção Geral das Assembleias de Deus (CGADB), igreja evangélica com maior quantidade de fieis no Brasil, apoiará José Serra, do PSDB.

Sem uma organização semelhante,  Silas Malafaia declara apoio a Eduardo Paes, do PMDB. Da mesma forma, Paes receberá ajuda da Igreja Universal através do apoio do ministro da Pesca, Marcelo Crivella. Marcos Soares, filho de RR Soares, da Igreja Internacional da Graça, também luta pela reeleição de Paes.

Em São Paulo, o voto evangélico está distribuído. A influência da Universal sobre o PRB reunirá seus fieis na candidatura de Celso Russomanno. Valdemiro Santiago, da Igreja Mundial, anunciou seus préstimos a Fernando Haddad, do PT. O pastor RR Soares não tem por hábito declarar seu apoio nas eleições e, por isso, a Igreja Internacional da Graça de Deus não se posicionou oficialmente. Mas Daniel Soares, outro filho de RR, será candidato a vereador na cidade de Guarulhos, município vizinho a capital, pelo DEM, partido da base aliada de Serra.

Silas Malafaia tem se reunido com pastores para discutir a necessidade das questões morais na cabeça do eleitorado no momento do voto. Uma de suas críticas diz respeito ao candidado Fernando Haddad, a quem ele chama de 'criador do kit gay'.

“Uma banana para quem diz que um religioso não pode falar sobre eleições. Quer dizer que Marx vale mais do que Jesus?”, defende Malafaia, “Não adianta tentar dar uma de anjo agora. Nossa questão com o cara de São Paulo (Haddad) é que ele tentou promover o homossexualismo e ensinar crianças sobre isso. Ele não terá colher de chá. Um governante é para todos. Enquanto quiserem beneficiar um grupo social em detrimento do outro, não merecerá o nosso apoio”.

Leia também:

Jovens oferecem oração nas ruas de Nova York

Atletas olímpicos declaram fé em Deus para competir



com informações da Veja

veja também