Conselho pastoral de Lutero durante a peste bubônica: “Tenha uma fé que teme a Deus”

Carta ''Se alguém pode fugir de uma praga mortal'', escrita ao reverendo Dr. Johannes Hess.

fonte: Guiame, com informações do Luteranos

Atualizado: Quinta-feira, 19 Março de 2020 as 3:35

Martinho Lutero. (Foto: Reprodução/Luteranos)
Martinho Lutero. (Foto: Reprodução/Luteranos)

A peste bubônica (anteriormente chamada de “peste negra”) arrasou a Europa na época do reformador Martinho Lutero. Estima-se que cerca de 25 a 50 milhões de pessoas no século VI morreram em consequência da praga.

Para orientar os cristãos, Lutero escreve uma carta ao reverendo Dr. Johannes Hess, intitulada “Se alguém pode fugir de uma praga mortal”.

Pelo teor da mensagem, pode-se observar que Lutero obedeceu a todas as recomendações médicas para evitar a contaminação das pessoas, seguindo afastamento social. Ele também fez os tratamentos médicos necessários para que sua saúde estivesse bem.  

Ele escreveu:

“Pedirei a Deus para, misericordiosamente, proteger-nos.

Então farei vapor, ajudarei a purificar o ar, a administrar remédios e a tomá-los.

Evitarei lugares e pessoas onde minha presença não é necessária para não ficar contaminado e, assim, porventura infligir e poluir outros e, portanto, causar a morte como resultado da minha negligência.

Se Deus quiser me levar, ele certamente me levará e eu terei feito o que ele esperava de mim e, portanto, não sou responsável pela minha própria morte ou pela morte de outros.

Se meu próximo precisar de mim, não evitarei o lugar ou a pessoa, mas irei livremente conforme declarado acima.

Veja que essa é uma fé que teme a Deus, porque não é ousada nem insensata e não tenta a Deus.''

Martinho Lutero fez seu papel de líder espiritual, que orienta suas ovelhas em meio a tempos de medos e incertezas.

veja também