Escola é denunciada ao Ministério Público por promover ideologia de gênero, no Ceará

Uma escola pública de Juazeiro do Norte liberou para os alunos um livro paradidático que incentiva a ideologia de gênero.

fonte: Guiame, com informações do Jornal O Estado

Atualizado: Quinta-feira, 11 Outubro de 2018 as 11:02

O caso foi comentado na Assembleia Legislativa do Ceará. (Foto: ALCE)
O caso foi comentado na Assembleia Legislativa do Ceará. (Foto: ALCE)

Pais de alunos de uma escola do interior do Ceará se mostraram revoltados com o conteúdo de um livro paradidático. Intitulado “Cultura de Paz – Aprendizagem Socioemocional”, a obra incentiva as crianças acreditaram que não “há várias formas de ser menino ou menina”.

Eles acionaram a deputada estadual Dra. Silvana (PR), conhecida por suas lutas em favor da família. Evangélica, ela criticou durante sessão no plenário da Assembleia Legislativa a utilização do livro paradidático por alunos da rede de ensino municipal de Juazeiro do Norte (CE).

Para a parlamentar, o livro é uma forte contribuição para reforçar a ideologia de gênero nos alunos. “Em uma das páginas, as crianças aprendem que gênero não é definido pelo corpo que as pessoas têm. Há vários jeitos de ser menino, de ser menina e de não ser nem um nem outro”, comentou ela.

Segundo Silvana, aderir esse tipo de material fere os planos municipal e estadual de educação. A parlamentar explicou que recebeu a denúncia de pais de estudantes. Ela ainda sugeriu que as pessoas que se sentissem confrontadas com a situação tinha a liberdade de ir à Justiça e cobrar indenização.

Dra. Silvana ainda chamou o prefeito de Juazeiro do Norte, Arnon Bezerra, de “criminoso”, e cobrou a punição dele. Ela acrescentou que está trabalhando em conjunto com seu esposo, o deputado federal eleito Dr.Jaziel (PR), para complementar a legislação em relação à pauta.

“Como fere os planos de educação do Estado e do município, a punição para o gestor já está prevista, mas a lei não especifica que tipo. Mas vamos pressionar o Ministério Público para que apure o caso”, ressaltou.

O deputado Ely Aguiar (PSDC) concorda com a parlamentar e complementou a crítica afirmando que a Assembleia Legislativa está ativa no combate à “ideologia de gênero”, e lamentou que essas ideias ainda estejam sendo aderidas pelas escolas.

“Cada um pode ser o que quiser quando adulto, mas não devemos impor esse tipo de coisa às crianças. A criança vai ser o que ensinarmos a elas. A ideologia de gênero destrói a família, a instituição mais importante da nossa sociedade”, finalizou.

veja também