Escola que inspirou o filme "Top Gun" foi fundada com base na oração

O fundador da escola, Dan Pedersen, conta uma parte da história da instituição que não chegou a Hollywood.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Quinta-feira, 23 Maio de 2019 as 10:58

Estrelado por Tom Cruise, Top Gun foi um sucesso internacional nos cinemas, ao final dos anos 80. (Imagem: CBS News)
Estrelado por Tom Cruise, Top Gun foi um sucesso internacional nos cinemas, ao final dos anos 80. (Imagem: CBS News)

Você pode se lembrar do filme "Top Gun", estrelado por Tom Cruise em 1986. Na época, a produção chamou a atenção internacional para a escola de elite de pilotos de caça da Marinha dos EUA, mas não contou toda a história sobre a fundação da instituição.

A história começa em 1956, quando Dan Pedersen começou sua carreira militar como piloto de caça da Marinha.

Ele logo se encontrou atuando na Costa Oeste com outros jovens pilotos, prontos para interceptar bombardeiros soviéticos.

Mas então, a Guerra do Vietnã começou, e de repente a Marinha Americana começou a perder na estratégia da qual há muito se orgulhava: o combate aéreo.

O Dr. Timothy Orr, historiador militar da Old Dominion University, diz que as baixas foram um choque após o sucesso dos ataques aéreos americanos durante a Guerra da Coreia. As derrotas também mostraram que o método predominante de treinamento não estava funcionando.

"O pensamento geral era que tudo o que você tinha que fazer era enviar os aviadores para a ação, ensiná-los a usar o equipamento e, se fizessem isso, obteriam vitórias", disse ele à CBN News.

Em contraste, diz Orr, os vietnamitas estavam se mostrando mais aptos a explorar seus aviões e os pilotos de caça americanos não estavam preparados para o desafio.

"Eles foram surpreendidos pelos MiGs do Vietnã do Norte", disse ele, "e se entrassem em confronto com eles - os MiGs -, embora estivessem muito ultrapassados, eram muito manobráveis ​​e os pilotos sabiam como ultrapassar os limites de suas aeronaves".

Guerra do Vietnã revela a profundidade do problema da Marinha Americana

Em 1967, Pedersen estava voando pela USS Enterprise na costa do Vietnã. Em apenas quatro meses, seu grupo aéreo perdeu 13 homens.

"Você ia jantar à noite e havia cadeiras vazias na mesa", lembrou ele.

Um estudo dos sistemas de mísseis aéreos da Marinha Americana, de 1965 a 1968, conhecido como "Relatório Ault", revelou a profundidade dos problemas da Marinha.

Na época, a taxa de mortalidade era de aproximadamente 2 para 1. Para cada dois aviões que os pilotos americanos abateram, eles perderam um.

Remédio Recomendado: Uma Escola de Voo para Reciclar Pilotos

O "Relatório Ault" prescreveu uma série de soluções para a Marinha, incluindo o estabelecimento de uma escola de pós-graduação para treinar rapidamente seus pilotos na arte perdida do combate aéreo, também conhecida como "dogfighting" ("briga de cães").

Pedersen apoiou o relatório. "Não podíamos viver perdendo aviões como nós estávamos. Então tivemos que fazer alguma coisa", disse ele.

Pedersen documenta essa "coisa" - a fundação da Escola de Armas de Caça da Marinha - em seu novo livro, "Top Gun: An American Story".

Nasce a Escola 'Top Gun'

Ele falou com a CBN News no Museu USS Midway, em San Diego, sobre a escola que ficou conhecida como "Top Gun" - e sobre uma das grandes reviravoltas na história militar moderna.

No início de 1969, um capitão da Marinha telefonou para Pedersen, que na época era instrutor de voo na Estação Aérea Naval de Miramar, na Califórnia, para fundar e liderar a escola. Ele não lhe ofereceu financiamento, nem mecânicos ou aviões próprios. Somente um prazo apertado.

Dan Pedersen fundou a escola que ficou conhecida como "Top Gun" em 1969. (Foto: Naval Historical Foundation)

Pedersen lembra: "Eu disse 'quanto tempo eu tenho?'. Ele disse 'cerca de 60 a 90 dias para ter a primeira aula convocada".

"Eu disse: 'você está brincando comigo".

"Deus foi meu co-piloto"

Pedersen também se lembra do encorajamento prático do capitão. "Você pode fazer isso, improvise!".

Pedersen acredita que Deus foi seu "co-piloto" na construção da escola.

"Quando eu olho para trás, como estamos juntos, é claro para mim que a mão que realmente estava em ação era muito mais poderosa do que a minha", escreveu ele em seu livro. "Eu orei, pedindo pelo dom do discernimento para fazer tudo funcionar".

Pedersen selecionou oito dos melhores pilotos em Miramar que ensinariam uma nova geração a lutar de novo e levar seus aviões ao limite. Um de seus instrutores encontrou um trailer abandonado e pagou a uma operadora de guindaste para movê-lo.

Os "Bros Originais", como se tornaram conhecidos, trabalhariam dia e noite durante 60 dias para se preparar para aquela primeira aula com o entendimento de que vidas estavam literalmente em jogo.

"Você pode treinar, você pode achar que é o melhor, mas vai descobrir de verdade, que se não fizer certo, não volta para casa", explicou Pedersen. "Era a coisa mais importante que poderíamos fazer pelo nosso país".

O currículo extremamente prático e afinado, ensinado por instrutores que entendiam a mecânica, as táticas do inimigo e a necessidade de inovação, faria toda a diferença.

Três anos depois, na próxima grande campanha aérea, o índice de aproveitamento da Marinha Americana aumentou em 600%, para quase 12:1. Para cada avião que os EUA perderam, derrubou 12 aeronaves inimigas.

Hoje, a Marinha credita o bom resultado ao 'Relatório Ault' e o que ficou conhecido como a escola "Top Gun".

A escola "Top Gun" continua a ter apenas um por cento dos pilotos de caça da Marinha e os treina para que estes treinem outros.

Orr chama isso de um "treinamento básico" para os pilotos de caça americanos. "Certamente cristalizou os aviadores navais americanos como sendo o creme de la crème da frota", disse Orr.

Pedersen diz que os sete "Bros" vivos se encontraram no início deste semestre para celebrar o 50º aniversário da escola, fundada em 3 de março de 1969.

Em 1996, a escola fundiu-se no Centro Naval de Ataque e Guerra Aérea na Estação Aérea Naval de Fallon, Nevada.

Pedersen diz que considera a "Top Gun" dos dias atuais moderna, maior e melhor do que nunca.

Mas ele diz que escreveu o livro para as crianças do ensino médio de hoje saberem sobre o que elas farão com suas vidas. Ele espera que eles considerem a Marinha e talvez até mesmo a aviação - se eles estiverem prontos para um desafio como nenhum outro.

veja também