'Estou vivo por um milagre', conta sobrevivente do Carandiru

'Estou vivo por um milagre', conta sobrevivente do Carandiru

Atualizado: Terça-feira, 2 Outubro de 2012 as 1:28

O massacre que deixou 111 mortos no dia 2 de outubro de 1992 na antiga Casa de Detenção do Carandirú, também deixou alguns sobreviventes, entre eles Jacy Lima de Oliveira que diz lembrar de detalhes como o cheiro, as imagens e os gritos. "Foi um inferno na Terra, estou vivo por um milagre".

Tudo aconteceu quando a polícia invadiu o pavilhão 9 e os detentos iniciaram uma rebelião. "Eu sobrevivi, eu vi a história, eu pisei em sangue que dava quase na canela, e isso não é exagero, não! Ouvi gritos que até hoje ecoam na minha mente".

Hoje ele visita o Parque da Juventude, construído no local onde era o Carandirú, e se diz aliviado. "Quando venho aqui eu me sinto livre, feliz de estar vivo. E me sinto também muito triste por saber que aqui morreu muita gente, e que os crimes estão impunes. Na verdade isso aqui é um tapete em cima de um grande montão de sujeira", expõe.

Agora pastor evangélico, Jacy lança um livro em que relata o que viveu. O título será 'Eu sobrevivi para testemunhar o massacre do Carandiru'.

"Eu tive um privilégio, que tenho pra mim como um milagre, porque muitos que passaram ali, como eu, morreram a facada, a tiro a queima roupa na cabeça. Eu passei no corredor da morte duas vezes. Descendo em direção ao patio e voltando. Subiram na minha frente umas 80 pessoas e eu ouvi o grito da morte delas", conta Jacy, que acredita que o real número de mortos é maior do que o divulgado.

Leia também:

Conheça o testemunho de uma jornalista de sucesso que encontrou a Deus

Thiago Grulha: 'Jesus ensina que a caminhada aqui não pode ser solitária'


com informações do G1

veja também