Evangélica,tia de bebê deixado em caçamba quer adotar criança

Evangélica,tia de bebê deixado em caçamba quer adotar criança

Atualizado: Sexta-feira, 29 Abril de 2011 as 10:01

A tia do bebê abandonado pela mãe numa caçamba de lixo em Praia Grande, no litoral de São Paulo, manifestou o desejo de adotar a sobrinha. O promotor da Infância e Juventude, Carlos Cabral Cabrera, do Ministério Público de Praia Grande, disse ao Globo, que a tia é evangélica, tem 41 anos, é casada e mãe de dois filhos.

Ela disse ao promotor que ficou envergonhada ao ver as imagens da sobrinha sendo colocada na caçamba. Cabrera pediu uma avaliação sobre as condições em que a tia vive numa cidade do ABC, na Grande São Paulo, e assim que a criança sair do Hospital Irmã Dulce, onde está internada tratando-se de uma infecção, deve encaminhá-la para a casa da tia.

“A tia manifestou ao Ministério Público o desejo de adotar a sobrinha. Pedimos uma avaliação das condições em que ela vive e o resultado parece positivo. É uma família estruturada, o marido se mostrou favorável a acolher a criança, e a tia disse que ficou envergonhada em ver a sobrinha ser colocada na caçamba. Ela afirmou que não tinha contato com a irmã (a mãe da criança) e não sabia que ela estava grávida. Assim que a avaliação da família, que está sendo feita por funcionários da prefeitura onde a tia mora, sair, meu desejo é que a criança saia do hospital e siga direto para lá”, disse o promotor Cabrera.

O promotor afirmou que deve entrar na Justiça com uma ação de destituição do poder familiar da mãe do bebê, que continua presa. Em seguida, vai formular um pedido de adoção em nome da tia e do marido e um pedido de liminar para a guarda provisória.

O promotor alertou entretanto que se ficar comprovado que o vigia Miguel Lemos Ribeiro, de 58 anos, for mesmo o pai da criança, ele tem preferência em ficar com a criança. O vigia submeteu-se a um exame de DNA.

Os três filhos que Rosineide de Salles Lins, de 39 anos, teve e não assumiu foram dados irregularmente a duas famílias, segundo o conselheiro tutelar Tadeu Costa.

Segundo o Costa, um casal de gêmeos de 1 ano foi entregue a duas irmãs, que moram na própria cidade, e ingressaram na Justiça com pedido de guarda das crianças. A outra filha de Rosineide é uma adolescente de 15 anos, que foi adotada por um casal da região de Campinas.

“Ela não colocou as crianças para adoção. Simplesmente entregou para pessoas que poderiam cuidar”, afirma Costa.

O promotor Carlos Cabrera informou que o processo de adoção da garota de 15 anos já está concluído. O dos gêmeos ainda está em andamento, mas já houve o pedido de adoção e a criação de vínculo entre a família e as crianças, e elas devem mesmo ficar com os pais adotivos.

veja também