Evangélicos se unem em campanha contra o casamento gay, em Cuba

Cristãos locais estão realizando campanhas contra o governo cubano que tenta promover o casamento gay.

fonte: Guiame, com informações da AFP

Atualizado: Sexta-feira, 28 Setembro de 2018 as 12:44

A cristã Cándida Palomina Núñes afirma que homossexuais não podem procriar. (Foto: Reprodução).
A cristã Cándida Palomina Núñes afirma que homossexuais não podem procriar. (Foto: Reprodução).

Enquanto Cuba tenta permitir o casamento entre pessoas do mesmo sexo, os evangélicos não cedem. “Esta união deve ser exclusiva para homens e mulheres”, ressaltou de púlpito o pastor Lester Fernandez.

“A proposta do matrimônio igualitário, produto da ideologia de gênero é totalmente incompatível com a história com os valores culturais e com os pensamentos cristãos de nossa pátria” disse ele aos fiéis, que por sua vez concordam com o líder.

“Sim, nós unimos homens e mulheres. De onde vai sair uma família? Deus disse: ‘O homem para mulher e a mulher para o homem’. De onde vai acontecer a procriação? Seria o fim do mundo”, disse a enfermeira Juana Rodríguez à reportagem da AFP.

A cristã Cándida Palomina Núñes também opinou: "O livro que é verdade, o caminho e a vida nos diz que o matrimônio é entre homem e mulher. Porque homem com homem não produz nada e a mulher com mulher não produz nada".

Já Moisés Sánchez, reverendo de uma igreja Metodista local diz: "Não se trata de uma briga com os homossexuais, mas os cristãos defendem que o matrimônio é uma união entre homen e mulhere".

Pelo Evangelho

Cerca de 20 líderes de igrejas evangélicas se reuniram em um templo e o tema que os convocou foi a proposta da assembleia nacional de modificar a constituição e incluir como conceito de matrimônio a união entre duas pessoas do mesmo sexo e não somente entre o homem e a mulher, como diz a versão em vigor desde 1976.

O governo tem iniciado há mais de uma década uma campanha de inclusão promovida pela deputada Mariela Castro, filha do ex-presidente Raúl Castro. Eu estou de acordo”, disse o presidente de Cuba Miguel Díaz-Canel. “Reconhecer o matrimônio entre pessoas, sem limitações, responde a um problema de eliminar qualquer tipo de discriminação na sociedade”, ressaltou.

Confira a reportagem da AFP:

veja também