Jovens evangélicos são mais abertos a ofertar fora de sua igreja, diz pesquisa

Cristãos com menos de 40 anos preferem doar para organizações internacionais e causas mais amplas.

Fonte: Guiame, com informações do The Christian Post Atualizado: quinta-feira, 3 de fevereiro de 2022 19:58
Cristãos com menos de 40 anos preferem doar para organizações internacionais. (Foto: Unsplash/Sharon McCutcheon).
Cristãos com menos de 40 anos preferem doar para organizações internacionais. (Foto: Unsplash/Sharon McCutcheon).

Uma pesquisa recente, realizada nos Estados Unidos, revelou que os evangélicos mais jovens são mais abertos para ofertar fora de sua igreja. 

O estudo feito pela Gray Matter Research em parceria com a agência de comunicação cristã Infinity Concepts, descobriu grandes diferenças na preferência de doação entre as gerações mais velhas e mais novas de cristãos.

De acordo com a resposta de mais de mil cristãos protestantes americanos entrevistados, os evangélicos com menos de 40 anos possuem uma “mentalidade mais global” e preferem apoiar causas mais amplas de organizações internacionais, ao invés de sua igreja local, como fazem os evangélicos mais velhos.

“Os doadores mais jovens são muito menos propensos a se concentrar em sua área local ou até mesmo no trabalho da igreja doméstica em geral. Pelo menos em relação às doações de caridade entre os evangélicos, parece ser verdade que as gerações mais jovens têm uma mentalidade muito mais global do que seus pais ou avós”, avaliou o estudo.

“Os doadores mais jovens também parecem valorizar a variedade. Embora o número real de organizações que eles apoiam não seja muito diferente, eles se consideram apoiando uma variedade maior de organizações e causas”.

Conforme os pesquisadores, essa tendência é significativa para organizações internacionais, entretanto representa uma preocupação para os ministérios e igrejas locais, que dependem da lealdade de sua comunidade.

“Se esta é realmente uma mudança de atitude e comportamento de longo prazo, pode causar algumas crises entre instituições de caridade e ministérios, à medida que esses doadores mais jovens crescem no público principal de doadores. Um desejo de maior variedade pode levar a menos lealdade a organizações e causas específicas, menos probabilidade de recrutar sustentadores (ou seja, doadores mensais) nessa população e uma maior necessidade de atividades de retenção de doadores”, observaram os pesquisadores.

Segundo o presidente da Gray Matter Research, Ron Sellers, embora os cristãos mais velhos ainda ajudem a sustentar como os principais mantenedores, muitos ministérios e instituições de caridade cristã precisarão criar formas de atrair os jovens, a fim de sobreviver.

“O que os líderes precisam perceber é que eles não podem alcançar efetivamente o doador de 35 anos com a mesma estratégia que usaram para alcançar seus doadores de 65 anos. As organizações podem precisar fornecer mais variedade de programas e mensagens para reter esses doadores”, destacou Sellers.



Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições