Jovens que deixam a igreja não voltam quando envelhecem, diz estudo

Análise feita nos EUA indica que a maioria das pessoas que fizeram parte do grupo de jovens não retornam à igreja à medida que envelhecem.

fonte: Guiame, com informações do Christian Post

Atualizado: Quinta-feira, 24 Outubro de 2019 as 10:13

Pastor Kemtal Glasgow fala com adolescentes durante a conferência Kingdom Youth. (Foto: Kingdom Youth Conference)
Pastor Kemtal Glasgow fala com adolescentes durante a conferência Kingdom Youth. (Foto: Kingdom Youth Conference)

Os jovens criados na igreja normalmente não retornam, quando comparados à geração baby boomer (nascida entre 1945 e 1964), segundo uma análise de dados publicada pelo Barna Group. 

Na análise do pastor Ryan Burge, professor assistente de ciência política na Eastern Illinois University, a geração baby boomer viveu o ciclo de vida previsto pela ciência social tradicional: “as pessoas se acalmam, têm filhos e voltam à igreja”, observa.

Quando ele examinou os dados de grupos nascidos entre 1965-1969, 1975-1979 e 1980-1984, os índices mostraram uma mudança no efeito do ciclo de vida por volta de 1970.

“Essa linha de tendência é completamente plana; essas pessoas não retornaram à igreja quando chegam aos 30 anos”, analisou Burge. “A marca registrada do ‘retorno à igreja’ — da qual pastores e líderes religiosos têm se apoiado há décadas — pode estar desaparecendo”.

Para qualquer pessoa preocupada com o crescimento da igreja, Burge diz que “isso deve soar um alarme”.

“Muitos pastores estão no púlpito no domingo e vêem cada vez menos membros de seus ex-grupos de jovens retornando aos bancos quando chegam aos 20 e 30 anos. Nenhuma igreja deve supor que essa parte crucial da população retornará à condição de membro ativo como seus pais fizeram”, explicou ele.

“Os dados estão falando uma mensagem clara: as suposições que sustentaram o crescimento da igreja de duas décadas atrás não se aplicam mais. Se as igrejas estão sentadas, apenas aguardando a chegada de todos os seus jovens quando chegarem aos 30 anos, é melhor que despertem. A inércia agora pode estar criando uma igreja que não tem um futuro forte”, acrescentou.

Outra pesquisa realizada pelo Barna Group mostra que a maioria dos jovens que foram criados na igreja não permanecem: 59% da geração Y (pessoas que nasceram entre 1980 e 1990) desistiram de continuar frequentando suas denominações.

A pesquisa ainda mostra que apenas dois em cada 10 jovens adultos acham importante frequentar a igreja; e mais de 35% adotam uma postura anti-igreja.

Essa geração está optando por sair da igreja por três principais fatores: citam a irrelevância da igreja, a hipocrisia e os fracassos morais de seus líderes; sentem que Deus está faltando na igreja e sentem que ter dúvidas é proibido.

A maioria dos líderes cristãos concorda que não há uma solução fácil para o aumento dos desigrejados, mas acreditam que construir relacionamentos autênticos é um grande começo.

O pastor Jeremy Miller, da New Life Church, observa que hoje muitas denominações querem que os jovens façam parte do sistema religioso, mas eles buscam apenas pertencer à uma “família” — uma família que fala sobre as duras verdades, mas também ouve as perspectivas dos outros.

veja também