“Nosso maior testemunho é como lidamos com a dor”, diz Rick Warren sobre suicídio do filho

O pastor Rick Warren fala como enfrentou o suicídio do filho, Matthew, em 2013.

fonte: Guiame

Atualizado: Segunda-feira, 24 Maio de 2021 as 4:14

O pastor Rick Warren relembrou como lidou com o suicídio de seu filho. (Foto: YouTube/Praise on TBN)
O pastor Rick Warren relembrou como lidou com o suicídio de seu filho. (Foto: YouTube/Praise on TBN)

Rick Warren, escritor e pastor da Saddleback Church, na Califórnia, falou recentemente sobre como superou a dor mais profunda de sua vida, depois que seu filho cometeu suicídio.

Matthew, filho mais novo de Rick, lutou durante toda a vida contra transtornos mentais e foi clinicamente diagnosticado com depressão logo na infância. “Ele amava o Senhor, ele tinha um coração sensível e uma mente atormentada”, disse o pastor em entrevista à TBN, uma emissora cristã dos EUA.

“Ele conduziu as pessoas a Cristo. Ele deu meu livro para as pessoas. Ele testemunhou para pessoas em sites de suicídio. [Mas] ele disse: ‘pai, simplesmente não funciona para mim, eu não consigo tirar a depressão’”, disse Rick.

O pastor se lembra que seu filho, aos 17 anos, chegou para ele em lágrimas dizendo que nunca seria curado da depressão. Ele, como pai e pastor, o encorajou: “Milagres acontecem. Como pastor, vi milhares de milagres. Mas porque eles são milagres, eles nem sempre acontecem, não toda vez”, disse ao filho. 

“Minha oração é para que você seja milagrosamente curado. Do contrário, oro para que, por meio de seu próprio crescimento espiritual e maturidade, bom conselheiro, boa medicação, você consiga lidar com isso”, acrescentou o pastor. “Alguns problemas não são milagres, alguns problemas são gerenciados para a glória de Deus”.

Dia temido

No entanto, em 2013, Matthew fez exatamente o que Rick e sua esposa, Kay, mais temiam — ele tirou a própria vida

“Matthew veio jantar em nossa casa uma noite e nos divertimos, assistimos TV, jogamos alguns jogos. Ele morava sozinho. Ao sair, disse: ‘Pai, estou tão cansado’. E essa foi a última vez que tivemos notícias dele. Então, 24 horas depois, ficamos preocupados porque o que temíamos poderia acontecer”, relatou Rick.


Matthew, filho mais novo de Rick e Kay Warren. (Foto: YouTube/Praise on TBN)

“Fomos até a casa dele. Seu carro estava na garagem, a porta estava trancada — não tínhamos a chave para entrar em sua casa — e estávamos esperando que a polícia chegasse para arrombar a porta para descobrir este momento terrível em nossas vidas. Kay e eu ficamos parados na garagem nos abraçando, soluçando, só soluçando”, continuou.

“A polícia veio, arrombou a porta e encontrou a má notícia inevitável. Eles carregavam o corpo do meu filho em um saco”, acrescentou.

Rick lembra que, 15 a 20 minutos depois, alguns de seus amigos apareceram e simplesmente os abraçaram. “Se eu não tivesse um pequeno grupo, não sei se ainda estaria no ministério agora”, confessa.

Sobre isso, o pastor apontou: “Quanto mais profunda a dor, menos palavras você usa”, lembra. “Esse é o ministério da presença”.

Entregue sua dor a Deus

Nas 16 semanas seguintes, Rick não fez nenhuma pregação nem reuniões com a equipe da igreja. Ele diz que passou seu tempo apenas com Deus e sua esposa.

Na época, ele recebeu milhares de cartas de condolências, muitas de pessoas famosas e importantes, mas as que mais o tocaram foram de pessoas a quem Matthew havia conduzido a Cristo.

“Nosso maior testemunho para o mundo é como lidamos com a dor”, destacou Warren. “Seu maior ministério surgirá de sua dor mais profunda. Use sua dor para ajudar os outros. Não a desperdice”.

Veja a entrevista completa (em inglês):

veja também