Pastor celebra 500 batismos na pandemia: “Pessoas evangelizaram amigos e familiares”

Apesar da pandemia e ausência de culto presencial, a Igreja Hillvue Heights deve superar meta de batismo colocada para 2020.

fonte: Guiame, com informações da BPNews

Atualizado: Sexta-feira, 4 Setembro de 2020 as 12:14

: O pastor líder Jamie Ward diz que uma pandemia global não impediu os membros da Igreja Hillvue Heights de compartilhar o Evangelho. (Foto: Reprodução / Hillvue)
: O pastor líder Jamie Ward diz que uma pandemia global não impediu os membros da Igreja Hillvue Heights de compartilhar o Evangelho. (Foto: Reprodução / Hillvue)

A igreja Hillvue Heights em Kentucky, nos EUA, está comemorando batismos de mais de 500 pessoas - até o mês de agosto - em plena pandemia.  Segundo o pastor, o mais incrível é que não foi resultado de pregação, já que a igreja estava fechada, mas dos crentes compartilhando sua fé com suas famílias, colegas de trabalho e vizinhos.

De acordo com o pastor Jamie Ward, a meta para 2020 era de 700 batismos quando Covid-19 entrou na equação. Uma das principais igrejas do Sul, quando se trata de batismos anuais, a Hillvue foi forçada a fechar as portas como medidas de restrição contra o avanço do vírus.

Mesmo sem pregar uma palavra em culto presencial, o Senhor estava trabalhando entre os membros da igreja, diz o pastor.

A igreja estava sem as reuniões físicas no prédio, mas funcionou fora das paredes onde os membros de Hillvue estavam compartilhando o Evangelho. Os cristãos aproveitaram o momento e compartilharam o Evangelho com amigos, familiares, vizinhos e colegas de trabalho. Eles até falaram com alguns crentes que, por qualquer motivo, ainda não haviam entrado nas águas batismais.

O resultado do evangelismo apareceu. Quando os serviços religiosos presenciais começaram em maio, Hillvue tinha uma lista de pessoas que precisavam ser batizadas.

“Assim que começamos a voltar, as pessoas simplesmente trouxeram aqueles com os quais haviam compartilhado o Evangelho durante a Covid”, disse o pastor Ward. “Eles estavam esperando a oportunidade de serem batizados. Honestamente, era meio difícil de acompanhar. As pessoas vinham em dias e noites diferentes para o batismo.”

Novas experiências

O pastor diz que algumas pessoas foram borrifadas quando bebês, mas não foram batizadas segundo as Escrituras. Outros queriam ser batizados no lado certo de sua salvação.

A igreja Hillvue ensina muito sobre o batismo e compartilha a mensagem do Evangelho todos os domingos. Seus membros estão preparados para a ação.

“O que tem sido incrível durante meu tempo em Hillvue, muitos desses batismos não são resultado de um sermão”, disse Ward, que é um pastor colíder e está na igreja há 16 anos.

“São pessoas compartilhando sua fé com suas famílias, colegas de trabalho e vizinhos. Outra coisa que fazemos em Hillvue, se você levar um amigo a Cristo, queremos que você o batize”, explica.

Ward disse que há mais batismos realizados por outras pessoas do que pela equipe da igreja, acrescentando que “é um visual incrível para nossa igreja."

Superando as expectativas

No último ano, a Hillvue batizou 641 pessoas, então eles estabeleceram uma meta de 700 para 2020. No entanto, na metade do ano, eles estão mais da metade do caminho para a meta com seis meses restantes. No final de fevereiro, de acordo com Ward, eles já haviam batizado cerca de 350.

Em vez de cruzarem os braços quando a pandemia começou, os membros da igreja entraram em ação. Na terceira semana de maio, quando as igrejas começaram a reiniciar os cultos presenciais, dezenas estavam esperando para serem batizadas. Eles alcançaram a marca de 500 em meados de agosto e terminaram com 506, um número incrível, disse Ward.

“Estamos entusiasmados com isso”, disse Ward, “mas na verdade são as pessoas que compartilham a fé. Isso é o que faz toda a diferença do mundo. As pessoas precisavam pregar, ensinar e compartilhar o Evangelho.”

Ward disse que o tempo de Covid é o momento perfeito para compartilhar o Evangelho porque as pessoas estão considerando sua própria mortalidade. Ele se lembrou de um cenário semelhante após o 11 de setembro, quando as pessoas se aglomeraram na igreja em busca de respostas.

“Qualquer cenário de fim do mundo chama a atenção das pessoas”, disse ele. “As pessoas começam a pensar: ‘Não acho que estou bem com o Senhor’ ou ‘Minha visão de mundo não tem solução’”.

“Ninguém sabe o quão fechado você tem estado ao cristianismo ou qualquer coisa no reino espiritual até que algo assim abra a janela. Isso é o que experimentamos aqui. Para muitas pessoas, a janela se abriu”, diz.

Discípulos

Sem os membros da igreja se tornando discípulos e compartilhando o Evangelho com paixão, os números alcançados em Hillvue nunca aconteceria, acrescentou Ward.

“(Pastor) Steve (Ayers) e eu não temos tempo suficiente em uma semana alcançar tantos”, disse. “Devemos equipar os santos para fazer a obra do ministério. Eu não me importo quão talentosos ou talentosos seus pastores sejam; se seu povo não está compartilhando sua fé, não vai funcionar como deveria.”

Receber um telefonema de um membro da igreja dizendo que ele levou um amigo a Cristo é o melhor tipo de mensagem que um pastor pode receber, declarou.

“Nossa igreja tem confiança de que se eles trouxerem um amigo perdido para a igreja, eles ouvirão o Evangelho porque o ouvem todas as semanas”, disse. “Este foi outro momento na história em que Deus forçou o mundo a considerar sua própria mortalidade. Para aqueles crentes que acreditam e sabem, eles precisam estar preparados para compartilhar.”

veja também