Pastor diz ser perseguido por 'pregar com ousadia' na Alemanha: "Estou no caminho certo"

"Eu só estou pregando o Evangelho de uma forma clara", disse o pastor Olaf Latzel. "Eu acho que é meu dever ministrar a pregação desta forma para o nosso Senhor".

Fonte: Guiame, com informações do Christian TodayAtualizado: sexta-feira, 15 de abril de 2016 20:09
Pastor Olaf Latzel lidera a igreja histórica de St. Martini. (Foto: CBN)
Pastor Olaf Latzel lidera a igreja histórica de St. Martini. (Foto: CBN)

Um pastor alemão afirma estar sendo perseguido por colegas pastores, porque prega corajosamente sobre Jesus Cristo e "recusa-se se curvar diante do que é politicamente correto".

Olaf Latzel lidera a igreja histórica de St. Martini, em Bremen (Alemanha) - onde um antigo pastor, Joachim Neander, escreveu o grande hino "Praise to the Lord, the Almighty", em 1679, segundo informações da CBN.

Os sermões de Latzel são conhecidos por serwm diretos e ousados, não deixando brechas ou arestas, também quando falam sobre outras religiões - o que tem soado como 'intolerância' para alguns.

"Eu só estou pregando o Evangelho de uma forma clara", disse Latzel. "Eu acho que é meu dever ministrar a pregação desta forma para o nosso Senhor".

Ele afirmou boa parte da Alemanha hoje "é coberta por uma profunda escuridão espiritual, como a maioria das nações ocidentais".

O grande conflito na igreja alemã da atualidade, segundo ele, é sobre a identidade de Deus.

Alguns pastores cristãos teriam dito que "Alá e Jesus Cristo são o mesmo Deus".

"Mas se você perguntar a um muçulmano, 'Será que o seu deus tem um filho?', ele irá dizer que não!", continuou Latzel. "No cristianismo Deus tem um filho, o nome dele é Jesus Cristo. Então, eles [Jesus e Alá] não são os mesmos".

"Se você falar em voz alta e claramente sobre a verdade da Bíblia - que só há um caminho para o céu e este caminho é Jesus Cristo, que há somente um Deus triúno, o Pai, Filho e Espírito Santo, e que não há outro Deus além dEle - então você tem um problema aqui", disse ele.

A CBN informou que o pastor Latzel foi atacado na mídia, investigado pelo governo local e até mesmo denunciado por colegas pastores, por seus posicionamentos sobre o que ele vê como 'um espírito que parece ter engolido o Estado e a Igreja da Alemanha'.

Pelo menos 70 pastores alemães supostamente se reuniram em Bremen este ano para denunciar Latzel, levantando uma bandeira que celebra a "diversidade".

O Ministério Público investigou o pastor por suas pregações e, em seguida o absolveu. O Parlamento de Bremen até aprovou uma resolução contra ele. Pela primeira vez, um pastor alemão foi condenado por um parlamento do país, desde a Segunda Guerra Mundial, segundo a agência de notícias.

Mas em vez de recuar, Latzel disse que os ataques o tranquilizam e mostram que ele está na guerra entre Cristo e o diabo.

"Este é um sinal de que você está no caminho certo em sua pregação: quando você começa a ter problemas. Se você pregar o evangelho de Jesus Cristo e todos simplesmente lhe aplaudirem de pé, então alguma coisa está errada", destacou.

Ele também admitiu que, enquanto ele tem recebido inúmeros elogios em seu e-mail sobre seus sermões, não quer se envaidecer.

"Eu não sou nada. Sou apenas um pecador. Eu sou apenas uma ferramenta nas mãos de Jesus Cristo. E quando Jesus pode usar essa ferramenta, dou honra somente a Ele", disse.

O pastor que vem de uma família com uma longa tradição militar, disse que está agora pagando o preço para ver reavivamento espiritual da Alemanha.

 

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições