Pastor JD Greear diz que proibir a igreja de falar em línguas é pecado

Pastor de megaigreja critica a proibição de falar em línguas

Atualizado: Terça-feira, 8 Maio de 2012 as 10:11

JD Greear, pastor da megaigreja Summit em Durham, Estados Unidos, disse que proibir as pessoas de falar em línguas é pecado.

"Você nunca vai me ouvir em público ou privado dizer a alguém que não deveria estar falando em línguas em seus momentos privados de oração", afirmou.

A declaração foi feita durante uma série de mensagens que trataram os dons espirituais.

O pastor observou que a Convenção Batista do Sul, que é sua denominação, restringe, em alguns aspectos, o dom de línguas.

Leia também:

"Sério, sou o cara mais gay que eu conheço", afirma pr. Ken Hutcherson

Ateu que nega a existência de Deus através do Facebook pode pegar até 11 anos de prisão

A denominação diz que "provavelmente a maioria acredita que o dom de línguas, como descrito na Bíblia cessou após a conclusão da Bíblia" e que apenas uma minoria muito pequena pode aceitá-la como válida.

Greer disse que com isso eles honram e querem receber os dons com cautela e definiu sua igreja como "carismáticos com um cinto de segurança".

O pastor quer que sua igreja use os dons para contribuir com a comunidade, mas não quer uma igreja onde as pessoas dão palmadas umas nas outras e caem no chão ou onde os fiéis gritam orações em línguas no meio da adoração.

Ele também ensinou que o dom de línguas deve ser desejado, mas não deve ser buscado.


com informações do Christian Post

veja também