Rabino-chefe de Israel pede à nação que se humilhe diante de Deus pelo fim da pandemia

David Lou instruiu os rabinos e os judeus a agirem espiritualmente em meio ao surto de coronavírus.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Terça-feira, 24 Março de 2020 as 11:19

Rabino-chefe de Israel David Lou. (Foto: Reprodução/Haaretz)
Rabino-chefe de Israel David Lou. (Foto: Reprodução/Haaretz)

O rabino-chefe David Lau escreveu uma carta no domingo pedindo a todo o Israel que jejue até meia-noite da quarta-feira "para remover a doença de coronavírus do nosso meio".

"Dias difíceis estão afetando todo Israel e o mundo inteiro", escreveu Lau. "Neste momento, cabe a nós fazer um exame da [nossa] alma."

O rabino Lau quer que os israelenses examinem seu relacionamento com Deus e as pessoas ao seu redor. Para aqueles que não conseguem jejuar por motivos de saúde, ele os incentiva a praticar "ta'anit dibur", abstendo-se de qualquer discurso que não gire em torno da Torá ou da oração.

A carta do rabino-chefe instrui os rabinos municipais a realizarem orações na quarta-feira nas sinagogas de todo o país. No entanto, essas reuniões de oração devem obedecer às regras do Ministério da Saúde que limitam as reuniões a 10 pessoas e ordena que as pessoas fiquem a dois metros de distância.

"O bom Senhor ouvirá nossas orações e responderá a nós e nos redimirá de todos os severos decretos. Ele salvará em Sua grande misericórdia seu povo Israel e todas as crianças do mundo que precisam. Uma petição em busca da Divina Misericórdia", concluiu Lau.

Na manhã de terça-feira, 1.656 israelenses foram infectados com o COVID-19. Desses casos, 31 são graves. O Ministério da Saúde informou que 47 pessoas estão em condições moderadas e a maioria são casos leves.

Uma pessoa, uma sobrevivente do Holocausto, morreu da doença.

O primeiro-ministro Benjamin Netanyahu realizou uma reunião de sete horas na segunda-feira com autoridades dos ministérios da Saúde e Finanças na segunda-feira para discutir a implementação de ordens de isolamento mais severas.

A mídia israelense informou que Netanyahu anunciaria na terça-feira essas novas restrições, que incluem o fechamento total do transporte público, limitando o quão longe os civis podem se afastar de suas casas. Todas as lojas serão fechadas, exceto mercearias e farmácias.

A polícia será chamada a aplicar essas regras.

veja também