Satanista se entrega a Jesus após sua mãe passar 33 anos orando por ele

A mãe de Brian jamais desistiu de orar pelo filho, até um dia ele reconhecer que precisava de Cristo para mudar de vida.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Quinta-feira, 22 Junho de 2017 as 2:34

Foi na prisão onde Brian começou a ler a Bíblia e foi tocado pelo Evangelho. (Foto: Reprodução).
Foi na prisão onde Brian começou a ler a Bíblia e foi tocado pelo Evangelho. (Foto: Reprodução).

A mãe de Brian chegou a pensar que nunca veria a transformação de seu filho, mas mesmo assim ela não desistiu de orar. Os primeiros conflitos de sua vida começaram na infância, quando Brian começou a ser abusado pelo pai de forma física e sentimental.

"Eu odiava as pessoas da minha vida e, se eu não pudesse fazer uso delas para o meu bem, eu não as queria perto de mim", disse ele. Brian era o alvo perfeito das pessoas que gostavam de intimidar, mas nenhuma das provocações de seus colegas o fizeram tão mal quanto os abusos de seu pai.

À medida que Brian crescia, seu ódio também era aumentado. Na 5ª série, ele começou a roubar e a criar confusões na igreja. “Eu ouvia coisas como: ‘Você é um problema’, ‘você não é nada’, você nunca vai ser nada’, ‘você é um pecador’, ‘você está indo para o inferno’. Eu tinha só 10 anos e eu não queria estar em casa, nem na escola e nem na igreja", compartilhou.

Mas uma pessoa era diferente de todos, sua mãe Dorothy. Ela também compartilha sobre o tempo difícil do filho: "Eu sempre lhe disse que o amava. Eu dizia: ‘Não importa o que você faça, você não vai afastar meu amor’”. Então, Brian conheceu alguns amigos na escola secundária e eles lhe ofereceram um cigarro, o que foi aceito com prazer.

Junto com seus novos amigos, Brian se tornou naquilo que ele mais odiava. Agora todos conheciam seu nome. "Eu era um grande dependente químico e vendia maconha", disse ele. “Vendia pornografia nas escolas. Entrava nas igrejas e roubava os equipamento de som. Eu amava quando as pessoas olhavam para mim e mostravam que tinham medo de mim”, ressaltou.

Reabilitação

Quando Brian tinha 14 anos, seu pai o entregou para um centro de reabilitação, onde ele passou os próximos quatro anos em casas de grupo, centros de tratamento e salas de psicologia, enquanto continuava a vender drogas e a roubar. Ainda assim, sua mãe se recusou a desistir dele.

"Eu tentei o meu melhor", disse Dorothy. "Foi uma coisa após a outra. Foi difícil". Aos 18 anos, Brian viu seus pais se divorciarem. Pouco tempo depois, ele foi parar na prisão, acusado de roubar mais de 250 casas e condenado a 10 anos. Enquanto estava em segurança máxima, ele adotou um novo hobby: o satanismo.

A mãe de Brian, Dorothy, foi a única pessoa que não desistiu de lutar pela sua vida. (Foto: Reprodução).

"Chamava todos os poderes do reino demoníaco. Até então eu já estava indo fundo no LSD. Vendo o medo nos olhos das pessoas, sabendo no que eu estava envolvido, até mesmo com os guardas". Pouco depois de sua liberação em 1994, sua nova namorada o traiu e brian, por sua vez, invadiu a casa do homem e atirou nele. O homem sobreviveu, e Brian foi preso novamente. Sua mãe havia o denunciado.

"É claro que eu culpei minha mãe", ele admitiu. Ela explica: “Nesse ponto, eu vi que não havia mais nada a ser feito por ele. Eu tive que orar por ele. Essa é a única coisa que me ajudaria". Depois de ter ficado recluso por 12 anos, ele se reconectou com um velho amigo e cliente. Brian entrou em um novo vício, a metanfetamina. Uma noite, depois de passar por uma compulsão de seis dias, seu amigo desmaiou em um colchão ao lado de um registro de calor, que pegou fogo. Seu amigo queimou até a morte.

Aos 40

Um ano depois, Brian ficou mais uma vez atrás das grades. Ele compartilhou: "Eu estava com 40 anos e eu simplesmente não queria mais viver. Eu sabia que eu era responsável". Desesperado por ficar limpo, Brian se juntou a um programa de drogas e álcool baseado na fé cristã.

“Eu tinha de ter uma Bíblia para fazer a lição de casa. Tinha de preencher os espaços em branco das Escrituras. Então, ao preencher os espaços em branco, vi este versículo, o Salmo 51: 7 que diz: ‘Purifica-me com hissopo, e ficarei puro; lava-me, e ficarei mais branco do que a neve’. O Senhor disse: ‘Conhecereis a verdade e a verdade te libertará’. E porque eu estava lendo a verdade, Ele já estava começando a me mudar. Em vez de eu preencher os espaços em branco agora, o Evangelho estava enchendo o espaço vazio do meu coração", colocou.

Ele disse: "Percebi que durante toda a minha vida eu tinha ferido minha mãe até o ponto em que ela queria morrer. Ela me disse que estava orando por mim desde que me perdi. Passei 33 anos perdido e minha mãe nunca desistiu de mim. Isso é amor verdadeiro. Esse é o amor de Cristo", finalizou.

Confira o testemunho (em inglês):

veja também