“Sou uma nova criação”, diz mulher liberta do lesbianismo pela fé em Jesus Cristo

Além da homossexualidade, Kylie Delia mergulhou no mundo do álcool e das drogas durante toda sua adolescência.

fonte: Guiame, com informações do Christians News

Atualizado: Terça-feira, 28 Julho de 2020 as 3:19

Kylie Delia antes, quando vivia o estilo de vida homossexual e hoje livre da homossexualidade. (Foto: Reprodução / Christian News)
Kylie Delia antes, quando vivia o estilo de vida homossexual e hoje livre da homossexualidade. (Foto: Reprodução / Christian News)

Durante uma recente entrevista conduzida pela organização britânica Christian Concern, uma mulher de Malta que se identificou como lésbica por sete anos compartilhou sua história de como encontrou realização em Jesus Cristo e foi libertada da homossexualidade.

"Em Cristo hoje, sou uma nova criação", declarou Kylie Delia durante a entrevista, publicada no YouTube.

Delia explicou que foi criada em uma casa marcada pela violência e abuso de drogas. Ela mesma se envolveu com drogas aos 13 anos e, como estava cercada por uma atmosfera de homens "dominantes", se via como necessitando proteger as mulheres dos homens. Delia logo assumiu uma aparência masculina, pois diz que ao se ver feminina, sentia-se fraca e sujeita a abusos.

Ela também se voltou para o álcool para tentar escapar dos estressores ao seu redor.

“Eu apenas tentei encontrar esse sentimento de pertencer ao mundo, esse sentimento de encontrar felicidade em todo tipo de coisas diferentes”, explicou Delia. "Mas também era uma maneira de eu escapar do mundo em que vivia".

Aos 15 anos, Delia se envolveu em seu primeiro relacionamento com outra mulher e continuou nesse estilo de vida durante o resto da adolescência.

"Com o passar do tempo, nesses relacionamentos, descobri que havia um sentimento de [um] vazio profundo na minha vida e estava procurando realização nesses relacionamentos e em outras coisas da vida", explicou. "Mas parece que eu nunca encontrei esse sentimento de satisfação, esse sentimento de satisfação e ansiava cada vez mais em meu coração."

Anos depois, um amigo da família convidou os pais de Delia para a igreja, uma experiência que eles descreveram como sendo "atingidos com força" pelo poder do Espírito Santo. A mudança em sua família também afetou Delia, que havia se identificado como ateia até aquele momento.

“Quando vi meu pai parar de usar drogas e meus pais se salvaram radicalmente, e a atmosfera de toda a casa mudou e mudou de uma maneira tão milagrosa, foi quando a jornada para mim começou a começar [pensando] sobre minha fé”, contou.

Jesus presente

A partir dali ela conta que estranhos começaram a testemunhar a ela sobre Jesus, até que finalmente ela decidiu ir à igreja. Delia descreve como seus olhos sendo abertos para o que Jesus fez por ela.

"Eu tive que encontrar esse lugar para ser inteira apenas em Cristo, porque outra pessoa não o faz inteiro, independentemente do sexo", disse ela. "Deus me teve nesta temporada, onde eu estava imersa em Sua presença e apenas focada em quem Ele diz que sou e me edificando como uma mulher em Cristo."

Com o tempo, Deus mostrou a Delia que a homossexualidade, que ela havia visto anteriormente como uma "identidade fixa" com a qual ela nasceu, não era a Sua vontade para a humanidade e começou a curar a dor que ela carregava por tantos anos.

“Ele começou a me levar por épocas e desafios de perdoar as pessoas que me machucaram e realmente ir em busca de reconciliação, e eu tive que fazer esse passo com meu pai”, lembrou. “E quando eu estava fazendo essas coisas, Deus estava restaurando a maneira como eu via os homens. E eu meio que percebi que os homens não são [todos] abusivos, obviamente."

Com o passar dos meses e ela continuou caminhando com o Senhor, sua atração por mulheres desapareceu e ela começou a ver os homens como bonitos - um conceito que há muito era estranho para ela. Delia agora está em um relacionamento com um homem e não tem interesse em voltar ao passado.

"Eu nunca mais gostaria de voltar para um relacionamento homossexual agora, porque entendo o papel adequado de um homem e como ele deve cuidar e ser como um guarda-chuva sobre a mulher e seus filhos", afirmou.

“O futuro é emocionante em Deus”, disse Delia. “E seja qual for [esse futuro], estou feliz por ser uma filha de Deus e livre na capacidade de compartilhar minha história e compartilhar o poder de Deus: isso há esperança para as pessoas que realmente querem sair desse estilo de vida.”

Delia agora faz parte da organização religiosa X-Out-Loud, que incentiva outras pessoas em toda a Europa a não ter medo de compartilhar sua história de sair do estilo de vida homossexual.

veja também