Ataque a bomba em igreja deixa ao menos 20 feridos na Indonésia

Um dos terroristas suicidas pertencia a um grupo extremista vinculado ao Estado Islâmico, acusado de outros atentados contra igrejas na Indonésia e nas Filipinas.

Fonte: Guiame, com informações da Portas AbertasAtualizado: segunda-feira, 29 de março de 2021 12:53
Policiais montam guarda ao longo de uma rua fechada após explosão em frente a igreja, na Indonésia. (Foto: Antara Foto/Arnas Padda via Reuters)
Policiais montam guarda ao longo de uma rua fechada após explosão em frente a igreja, na Indonésia. (Foto: Antara Foto/Arnas Padda via Reuters)

Cristãos foram surpreendidos por uma ataque à bomba enquanto saíam de uma igreja na manhã de domingo (28) em Makassar, na Ilha de Sulawesi, na Indonésia. O atentado suicida deixou ao menos 20 feridos e, entre os mortos, estão apenas os dois suspeitos de iniciar a explosão.

Segundo as autoridades locais, por volta das 10h30 no horário local, dois homens-bomba tentaram entrar no templo, mas foram impedidos por seguranças. A bomba foi detonada na entrada lateral da igreja, onde os cristãos celebravam o Domingo de Ramos.

Um dos dois terroristas suicidas pertencia a um grupo extremista vinculado ao Estado Islâmico, acusado de outros atentados contra igrejas na Indonésia e nas Filipinas, informou o chefe de polícia, Listyo Sigit Prabowo.

“O perpetrador fazia parte do grupo JAD (Jamaah Ansharut Daulah), que executou o atentado em Jolo, nas Filipinas”, afirmou.

De acordo com o prefeito de Makassar, Dany Pomanto, se a explosão tivesse acontecido em frente à entrada principal, poderia ter deixado muito mais vítimas.

O presidente da Indonésia, Joko Widodo, condenou o ataque terrorista: “Condeno veementemente esses atos de terrorismo e ordenei ao chefe da polícia que investigue profundamente os culpados e descubra as redes responsáveis”, disse em nota. “Peço a todos que lutem contra o terrorismo e o radicalismo, que vão contra os valores religiosos”.

Segundo Sam (pseudônimo), colaborador da Portas Abertas no Sudeste Asiático, todos os presentes ficaram traumatizados. “Suas vidas nunca mais serão as mesmas. Pedimos à igreja em todo o mundo que ore por seus irmãos e irmãs em Makassar”, afirma.

De acordo com o canal de TV News Asia, cinco membros da equipe da igreja e quatro fiéis estão entre os feridos. Eles disseram que havia poucas pessoas assistindo à missa devido às restrições da Covid-19. 

Sam acrescentou: “Na Indonésia, a situação dos cristãos tem piorado nos últimos anos. É importante estar ao lado deles quando sofrem. Eles devem saber que não estão sozinhos”. 

Parceiros da Portas Abertas na Indonésia estão no local avaliando a situação e fornecerão mais atualizações conforme surgirem. 

A Páscoa é um período de grande perseguição, com ataques regulares a igrejas enquanto cristãos se reúnem para celebrar a morte e a ressurreição de Jesus. Em 2017, 49 cristãos foram mortos e mais de 110 ficaram feridos no Egito no bombardeio a duas igrejas também no domingo antes da Páscoa. 

Na Indonésia, essa não é a primeira vez que igrejas foram alvejadas. Em 2018, três igrejas foram alvo de ataques coordenados em Surabaya, Indonésia, quando 28 pessoas morreram e 57 ficaram feridas.

Siga-nos

Mais do Guiame