Ateus cancelam Convenção Global por falta de público interessado

A Convenção Global Ateísta seria realizada na Austrália e foi cancelada devido ao baixo número da venda de ingressos.

fonte: Guiame, com informações do Eternity News

Atualizado: Terça-feira, 14 Novembro de 2017 as 12:53

Richard Dawkins (esquerda) e Salmon Rushdie (direita) são alguns dos principais palestrantes que foram convidados para a Convenção, antes de seu cancelamento. (Foto:
Richard Dawkins (esquerda) e Salmon Rushdie (direita) são alguns dos principais palestrantes que foram convidados para a Convenção, antes de seu cancelamento. (Foto:

A maior reunião de ateus que aconteceria na Austrália - a 'Convenção Global Ateísta' - foi cancelada por "falta de interesse" do público.

Os organizadores da conferência "Reason To Hope" ("Razão para Esperar"), que estava programada para realizar-se em fevereiro do próximo ano, explicaram que a venda de ingressos foi "substancialmente abaixo das expectativas" e este foi o motivo do cancelamento do evento.

A conferência é organizada pela Fundação Ateísta da Austrália. Salmon Rushdie, autor da obra 'The Satanic Verses' ('Os Versos Satânicos'), havia sido convidado como o principal palestrante, acompanhado do autor britânico Richard Dawkins e o médico Ben Goldacre. Os palestrantes locais, incluindo os apoligistas ateus Jane Caro, Peter FitzSimons, Tracey Spicer e Clementine Ford também estavam na lista.

A última Convenção Global Ateísta foi realizada em 2012, também em Melbourne (Austrália), e atraiu cerca de 4.000 participantes. Robert Martin do Fórum 'City Bible', de Melbourne foi um deles e ele está desapontado com o cancelamento da conferência de 2018.

"Eu achei que a última conferência foi excelente", diz Martin à Eternity. "Gostei muito da troca de ideias que houve ali".

Michael Jensen, um ministro e comentarista anglicano em Sydney, também expressou sua decepção pelo fato de a Convenção ter sido cancelada. Escrevendo para o site smh.com.au, Jensen escreveu: "Eu também acho que a discussão completa e franca das ideias fundamentais faz parte do que uma cultura saudável. Uma Convenção Ateísta Global deve ser bem-vinda, porque cada vez que as pessoas pensam sobre Deus e sobre o significado da vida é um momento em que consideramos mais profundamente o valor e o propósito da vida humana. Isso nos torna cidadãos melhores".

Robert Martin acredita que o ateísmo, como movimento, pode estar em um momento decisivo.

"Este é um golpe enorme para a Fundação Ateísta como organização e o ateísmo organizado na Austrália. O que será que está por vir? Qual a representação deles atualmente?", perguntou Martin.

"De muitas maneiras, a convenção, em 2012, abordou um espírito particular da época - que era uma verdadeira raiva e protesto contra o que eles viram como o lugar da religião na sociedade, liderada pelos novos ateus Richard Dawkins e Sam Harris. Esse movimento diminuiu um pouco. A sua influência permanece, mas não é tão evidente e visível como talvez fosse na época", acrescentou.

Martin diz que a fragmentação dentro do movimento ateu na Austrália é uma razão fundamental pela qual a convenção pode ter encontrado dificuldaes de vender seus ingressos. Quando qualquer grupo vai além do que o une - e para os ateus, esse ponto é a crença de que Deus não existe - Martin sugere que os grupos precisam encontrar outras coisas que o mantêm firme. Mas isso não é tão claro para o ateísmo.

"Muitas das questões com as quais estamos lidando agora são questões sociais. Veja o controle de armas, por exemplo. Qual é a posição ateísta no controle de armas? Não está clara. O que eles concordam é simplesmente que Deus não existe. Mas o que acontece a partir daí é uma questão de desacordo. O feminismo é outro assunto que também dividir os ateus", explicou.

O mundo mudou muito desde a última Convenção Ateu Global, e Martin acredita que muitos ateus também estão um pouco "cansados de discutir".

"Nem todos os ateus estão com raiva, mas o que Dawkins e [Christopher] Hitchens e Harris fizeram foi aproveitar o sentimento pós-11 de setembro de que a religião estava afetando nosso mundo de maneiras que não gostamos. A série de livros [que eles escreveram] em algum lugar entre 2004 e 2011, todos estavam no mesmo estilo e gênero. Mas depois de um tempo, os movimentos de protesto desaparecem, porque uma vez que você se irrita com alguma coisa, para onde você segue deste ponto?", questionou.

Contexto

O cancelamento da Convenção ocorre apesar do aumento dos 'sem religião' na Austrália. O censo de 2016 mostrou que o número de australianos que se declaram "sem religião" aumentou para 29,6%, ultrapassando o número de católicos (22,6%). O número total de cristãos ainda representava um total de 51% da população, mas aqueles que se denominam "sem religião" quase dobraram, sendo que eram apenas 16% 2001.

Enquanto isso, a maior reunião cristã da Austrália - a Conferência Hillsong em Sydney - aumentou o número de inscrições nos últimos três anos. A Igreja Hillsong informou em seu relatório anual de 2016 que a Conferência de 2016 apresentou uma frequência de 31 mil pessoas, comparada a 22 mil em 2014.

O site cristão 'Eternity News' entrou em contato com a organização da Convenção Ateísta para comentar a notícia, mas não recebeu uma resposta. No Facebook, os organizadores expressaram sua decepção pelo cancelamento e estão incentivando os ateus a manterem seu interesse em participar de outros da Fundação Ateísta no futuro.

veja também