Casal adota 4 meninas chinesas com deficiência: “Deus não tem deixado faltar nada”

Depois de criar quatro filhos biológicos, os aposentados Randy e Linda Kramer somaram mais quatro meninas adotadas à família.

fonte: Guiame, com informações da AG News

Atualizado: Terça-feira, 3 Março de 2020 as 2:21

Os aposentados Randy e Linda Kramer adotaram 4 meninas da China com deficiência. (Foto: AG News)
Os aposentados Randy e Linda Kramer adotaram 4 meninas da China com deficiência. (Foto: AG News)

Depois da aposentadoria, o casal Randy e Linda Kramer percebeu que uma vida de descanso não poderia trazer plena satisfação. Pais de quatro filhos, que são casados ​​e têm suas próprias famílias, eles encontraram a resposta pelo “algo mais” através da adoção.

O casal saiu de Oregon, nos EUA, para acompanhar a filha e seu marido à China, onde iriam adotar uma garota com graves problemas cardíacos. Ali seus olhos foram abertos para um novo propósito de vida.

“Vimos as grandes necessidades de crianças especiais”, diz Linda, 64 anos, ao site AG News. “Deus nos alcançou e decidimos adotar, mesmo achando que éramos velhos demais”.

“Eu nunca poderia imaginar adotar quatro filhos, mas pareceu tão certo”, diz Randy, 67 anos, avô de 13 netos. 

Há cinco anos, Randy e Linda adotaram Josie Ann, de 6 anos, com paralisia cerebral — o mesmo distúrbio do filho mais velho do casal, Steve, que se formou no Seminário Teológico e tornou-se missionário da Assembleia de Deus nos EUA.

Um ano depois de adotar Josie, Linda e Randy acharam que ela precisava de uma irmã. Eles voltaram para a China e adotaram Jennie, de 10 anos, que tinha paralisia no lado esquerdo devido a uma lesão cerebral traumática. Mas eles descobriram que Jennie tinha uma amiga íntima no mesmo orfanato, Grace, 13 anos, que lidava com atrasos no desenvolvimento. O casal também concordou em adotá-la.

Desafios superados

Apesar da casa cheia, Linda e Randy decidiram, há três anos, adotar uma quarta menina chinesa com necessidades especiais, Annabelle, de 5 anos. Ela sofria o distúrbio mais grave entre as irmãs; a síndrome de Lennox-Gastaut, um tipo raro de epilepsia. 

Annabelle chegou abaixo do peso e sofria até 40 crises por dia. Ela precisava de um tubo de alimentação para conseguir comer e beber. Dois anos atrás, a menina ficou gravemente doente e passou duas semanas na UTI.

“Deus a curou no hospital”, conta Linda. “Ela não teve convulsões desde então”. 

Hoje, aos 8 anos, Annabelle ainda é paraplégica e não se comunica, mas suas habilidades cognitivas melhoraram. Ela está aprendendo a andar e consegue se expressar através de um dispositivo de comunicação.

Nenhuma das meninas frequentou a escola na China ou sequer sabia ler ou escrever. Agora eles estão indo bem na escola e todas as quatro aceitaram Jesus como Salvador, revela a mãe adotiva.

Os dias de Linda e Randy passaram a ser ocupados e cheios de energia. “Nossa única concentração são nossas meninas”, diz Linda. “Vivemos de forma simples e não temos muitos extras. Mas Deus definitivamente atende às nossas necessidades. Não tem faltado nada”.

veja também