Cerca de 40% dos eleitores dos EUA acreditam que o aborto deveria ser ilegal, diz pesquisa

A pesquisa foi realizada pela Fox News, relacionando também as opiniões dos eleitores à escolha sobre o candidato à presidência dos EUA.

fonte: Guiame, com informações da Fox News

Atualizado: Sexta-feira, 6 Novembro de 2020 as 11:27

Manifestantes pró-vida protestam contra o aborto, segurando cartazes que dizem "Parem o Aborto Agora", enquanto ouvem os palestrantes em 23 de janeiro de 2017, no Capitólio em Olympia. (Foto: AP / Ted S. Warren)
Manifestantes pró-vida protestam contra o aborto, segurando cartazes que dizem "Parem o Aborto Agora", enquanto ouvem os palestrantes em 23 de janeiro de 2017, no Capitólio em Olympia. (Foto: AP / Ted S. Warren)

Uma pesquisa realizada pela Fox News apontou que cerca de 40% dos eleitores dos Estados Unidos afirmaram acreditar que o aborto deveria ser ilegal, com 29% dizendo que deveria ser ilegal na maioria dos casos e 12% dizendo que deveria ser ilegal em todos os casos.

Segundo os dados coletados, 35% dos americanos acreditam que o aborto deve ser legal na maioria dos casos, enquanto 25% dos americanos acreditam que o aborto deve ser totalmente legal em todos os casos.

Divididos por preferência sobre o candidato à presidência nesta eleição de 2020, dos eleitores que afirmaram que o aborto deveria ser ilegal em todos os casos, 81% votaram no presidente Trump, e para aqueles que pensaram que o aborto deveria ser ilegal na maioria dos casos, 77% votaram no presidente Trump. Curiosamente, cerca de 1 em cada 5 eleitores de Biden (18%) achava que o aborto deveria ser ilegal em todos os casos, e era quase o mesmo para ilegal na maioria dos casos (21%).

De acordo com dados coletados pela Gallup em seu relatório de tendências históricas sobre o aborto, em maio de 2020, 70% dos americanos declararam acreditar que o aborto deve ser legal apenas em certas circunstâncias ou ilegal em todas as circunstâncias.

Contexto

Essa tendência ocorre em um momento em que um relatório da Associação Americana de Saúde Pública (‘American Public Health Association’) aponta que cerca de 1 em cada 4 mulheres já fez um aborto pelo menos uma vez na vida. Isso se deve principalmente a gestações não planejadas, que representam cerca de metade de todos os abortos.

No entanto, os abortos em geral estão caindo, já que o Instituto Guttmacher relata que os abortos estão chegando aos seus níveis mais baixos de todos os tempos, o que significa que menos pessoas, como um todo, estão fazendo abortos do que nos anos anteriores.

A taxa de aborto disparou nos anos imediatamente após a legalização do aborto com as decisões sobre os casos ‘Roe vs. Wade’ e ‘Doe vs. Balton’, tomadas pela Suprema Corte dos EUA, que revogaram leis que anteriormente tornavam o aborto ilegal.

Candidatos à presidência

Pelo fato do presidente Donald Trump nomear juízes pró-vida e conservadores para a Suprema Corte, teoriza-se que haveria juízes suficientes para ter a maioria e tornar o aborto ilegal novamente, se o caso chegasse à Suprema Corte.

Já o candidato democrata Joe Biden, durante uma sabatina realizada anteriormente ao dia da eleição, se mostrou a favor de tornar a decisão Roe vs. Wade uma lei nacional, dificultando assim que o aborto voltasse a ser ilegal nos EUA fosse um “direito” garantido a todas as gestantes que se encontrassem em uma situação na qual “o feto não é mais viável”.

veja também