Curador do 'Queermuseu' realiza nova exposição com nudez e crianças têm entrada franca

Anunciada sem classificação indicativa, a mostra "Corpos de Fábrica" promove a ideologia de gênero e expõe a nudez em quadros e outras obras.

fonte: Guiame, com informações d'O Diário Nacional

Atualizado: Sexta-feira, 5 Janeiro de 2018 as 10:52

A exposição "Corpos de Fábrica" não tem qualquer tipo de censura e o museu Oscar Niemeyer continua permitindo que crianças tenham entrada franca. (Foto: Twitter)
A exposição "Corpos de Fábrica" não tem qualquer tipo de censura e o museu Oscar Niemeyer continua permitindo que crianças tenham entrada franca. (Foto: Twitter)

Após a polêmica da exposição "Queermuseu", que envolvia a promoção da erotização infantil e vilipêndio religioso, realizada e posteriormente cancelada pelo Santander Cultural em setembro de 2017 no Rio Grande do Sul, o curador Gaudêncio Fidelis organizou mais uma mostra que envolve nudez e ideologia de gênero, dando franca para crianças.

Desta vez realizada no Museu Oscar Niemeyer (MON), em Curitiba, a mostra “Corpos de Fábrica: Obras de Ana Norogrando (2015-2017)” começou no dia 24 de novembro de 2017 e vai até 04 de março de 2018.

Segundo uma análise exposta no próprio site do museu, a artista a exposição tem o objetivo de traduzir "a disputa entre a expressão e a identidade de gênero e as manifestações da consciência e articular "as relações entre o desejo e a liberdade, a vontade e os limites da ação na sociedade contemporânea".

Imagens de nudez, a exposição de órgãos genitais nos quadros compoem a exposição e a alusão à ideologia de gênero em outras obras fazem parte da mostra.

Apesar de a cessão de entrada franca para menores de 12 anos ser uma medida adotada pelo zmuseu, a divulgação da exposição no site do MON não apontou qualquer classificação indicativa para esta mostra específica, mesmo com o teor do material que ela apresenta.

Nas redes sociais, a mostra "Corpos de Fábrica" já está gerando polêmica e muitas críticas.

"Esse curador do Santander deve ser doente. A fixaçao q ele tem por arte barata, sem talento, puramente pornográfica demonstra isso. Criminosos são os pais q levam seus filhos", comentou um usuário do Twitter.

"Tem que prender esse maníaco, internar pra fazer tratamento à força. Antes que ele faça algo mais grave...", comentou outro usuário sobre Gaudêncio.

Contextualização

Em setembro de 2017, o efeito causado pela exposição 'Queermuseu' foi catastrófico para o banco Santander, que se envolveu na organização da mostra.

A exposição era composta por quadros que faziam alusão à pedofilia, ideologia de gênero e desrespeito às religiões. A mostra estava sendo visitada por crianças de diversas escolas em Porto Alegre (RS).

Após a divulgação destas informações, se iniciou uma onda de protestos e boicote ao Santander, com dezenas de milhares de correntistas encerrando suas contas no banco.

veja também