“Deus me ajudou a superar”, diz mulher que já foi considerada ‘a mais feia do mundo’

Por causa de sua síndrome rara, a americana Lizzie Velasquez foi classificada como “a mulher mais feia do mundo”. Hoje, ela inspira milhões de pessoas com suas palestras.

fonte: Guiame, com informações de God Reports

Atualizado: Sexta-feira, 26 Janeiro de 2018 as 5:30

Lizzie Velasquez inspira milhões de pessoas com sua história de superação. (Foto: Reprodução/Instagram)
Lizzie Velasquez inspira milhões de pessoas com sua história de superação. (Foto: Reprodução/Instagram)

Por causa de sua síndrome rara, a americana Lizzie Velasquez foi classificada como “a mulher mais feia do mundo” quando ela tinha 17 anos, através de um vídeo publicado no YouTube que teve milhões de visualizações.

Os comentários eram os mais perversos possíveis: “Por que os pais ficaram com ela?”, dizia um deles. “Matem isso com fogo”, afirmava outro. Enquanto isso, a jovem enfrentava noites intensas de lágrimas.

“Eu era adolescente, eu pensei que minha vida tinha acabado. Eu não conseguia falar com ninguém sobre isso, não contei a nenhum dos meus amigos, fiquei muito chocada com o que aconteceu”, disse ela.

Lizzie veio ao mundo com duas condições raras: síndrome de Marfan e lipodistrofia, que causa uma aparência envelhecida e bloqueia o ganho de peso. Hoje com 28 anos, ela mede 1,57 e pesa cerca de 27 quilos.

Criada por pais dedicados e amorosos, Lizzie não percebeu que tinha uma aparência incomum até iniciar seus estudos e se tornar alvo de outras crianças. O bullying se intensificou muito mais na adolescência, mas ela sempre contou com o apoio da família.

“Uma das primeiras coisas que meu pai me disse quando aconteceu tudo isso, era que eu precisava perdoar as outras pessoas”, conta Lizzie. “No começo eu pensei: ‘Você está louco? Não tem como perdoá-las. Elas são muito más’. Mas comecei a enxergar que as essas pessoas poderiam não ter uma vida tão ótima. E infelizmente, a única forma de se sentirem melhor é fazendo com que outras pessoas se sintam mal. Isso custou muita oração”.

Superação

Em vez de se esconder por trás da autopiedade, Lizzie decidiu virar o jogo e encarar sua doença de forma diferente. Ela se formou em Comunicação pela Universidade Estadual do Texas e começou seu próprio canal no YouTube, para mostrar quem ela realmente é.

Lizzie não culpa a Deus por sua aparência, pois sabe que a beleza dada por Ele é muito maior. “Deus é a principal razão pela qual estou aqui. Recebi a maior benção da minha vida, que é a minha síndrome. Além da minha família e meus amigos, minha fé é tudo para mim. Quando eu tenho um dia ruim, eu sei que a única coisa que tenho que fazer é entregá-lo nas mãos de Deus, pois eu sei que Ele me ajudará a superar qualquer coisa”, destaca.

“Eu percebi que nascer com uma condição tão rara teve um propósito. Eu deveria passar por isso e fui abençoada por todas essas lutas no início da vida, não só para me fortalecer, mas para me ensinar muitas lições de vida que agora posso compartilhar com o mundo”, afirma a jovem.

Hoje, Lizzie é um palestrante motivacional e líder do movimento anti-bullying cibernético. Ela escreveu o livro “Be Beautiful, Be You” (“Seja Linda, Seja Você”, em tradução livro) em 2012 e “Dare to be Kind” (“Se Atreva a ser Amável”, em tradução livre) em 2017.

“Sou uma inspiração e motivação para as pessoas, mas sou humana”, ela avalia. “Coisas terríveis aconteceram comigo, mas ainda estou aqui sorrindo e feliz. Sou muito grata pela oportunidade de ser uma voz para tantas pessoas”.

veja também