Filho de pastor morre como herói após salvar vítimas em massacre nos EUA

Ryan Keith Cox foi considerado um herói por ter salvado funcionários do prédio público de Virginia Beach durante tiroteio.

fonte: Guiame, com informações da CBN News

Atualizado: Segunda-feira, 3 Junho de 2019 as 11:58

Mulher escreve homenagem para Michelle Langer, uma das vítimas do tiroteio em um prédio municipal de Virginia Beach. (Foto: AP Photo/Patrick Semansky)
Mulher escreve homenagem para Michelle Langer, uma das vítimas do tiroteio em um prédio municipal de Virginia Beach. (Foto: AP Photo/Patrick Semansky)

Um tiroteio provocado por um funcionário público deixou 12 pessoas mortas e quatro feridas nesta sexta-feira (31), em um prédio governamental de Virginia Beach, costa leste dos Estados Unidos. O assassino morreu ao trocar tiros com policiais.

Uma das vítimas, Ryan Keith Cox, foi considerado um herói pelos sobreviventes por ter salvado muitas vidas. Ele é filho do pastor E. Ray Cox, da Igreja Batista New Hope, em Virginia Beach.

Ned Carlstrom, colega de trabalho de Keith, contou que ele estava reunindo os funcionários em um local seguro quando foi baleado. O atirador foi identificado como Dewayne Antonio Craddock, 40 anos, engenheiro e funcionário público de Virgínia.

Carlstrom e outro colega de trabalho, Terry Inman, confrontaram Dewayne, mas ele não apontou a arma para nenhum dos dois.

Inman relatou que viu o atirador segurando uma arma e disse: “DeWayne, pare!”

“Ele se virou e olhou diretamente para mim, mas não me viu. Ele olhou direto no meu rosto e não me viu ali de pé, porque não levantou a arma. Ele nem sequer fez uma indicação de que viu alguém lá”, contou Inman.

“Para mim, isso foi o Espírito Santo curvando algo sobre aquele homem a ponto de ele não ver Terry Inman parado lá”, disse Carlstrom.

Depois que o suspeito saiu da sala, Carlstrom e Inman ouviram vários tiros. Eles acreditam que foi quando seu amigo e colega de trabalho foi morto.


Uma das vítimas, Ryan Keith Cox, foi considerado um herói por ter salvado muitas vidas. (Foto: Reprodução/CBS News)

Outra sobrevivente também falou como Keith salvou sua vida e outras pessoas na tragédia. Christi Dewar disse ao The Virginian-Pilot que ela e Keith trabalharam juntos desde 2006. Lembrou que ele sempre dava um abraço a que precisasse de um.

Ele sempre tinha uma palavra amável para dizer e tinha um coração de “servo”, destacou Dewar. “Sabia desde o começo que ele daria a vida por qualquer um. E foi exatamente o que ele fez”.

Dewar lembra que estava em um grupo de sete funcionários que fugia do atirador. Keith orientou o grupo a entrar em uma das salas e trancar a porta, enquanto ajudava outros funcionários.

O atirador aproximou-se da porta e fez quatro disparos. Os funcionários caíram imediatamente no chão; Dewar caiu contra algumas caixas, provocando um barulho alto. Ela supõe que isso fez com que o atirador acreditasse que acertou alguém, porque ele se afastou da porta.

Depois que a polícia chegou, o grupo descobriu que Keith havia sido baleado.

Dewar ligou para a mãe da vítima, que mora em Oklahoma, para contar como ele salvou sua vida. “Quando eu disse a ela o que Keith fez, ela disse: ‘Deus colocou um anjo da guarda para andar com Keith. Keith era seu anjo da guarda, querida, e você nunca esquecerá disso’”.

veja também