General que assumirá Secretaria de Governo pede a Deus “sabedoria de Salomão”

Evangélico, Luiz Eduardo Ramos será responsável pela articulação política do Palácio do Planalto com o Congresso.

fonte: Guiame, com informações do Estadão e UOL

Atualizado: Quinta-feira, 4 Julho de 2019 as 12:23

Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta o general Luiz Eduardo Ramos. (Foto: Werther Santana/Estadão)
Presidente Jair Bolsonaro cumprimenta o general Luiz Eduardo Ramos. (Foto: Werther Santana/Estadão)

Luiz Eduardo Ramos deixa o Comando Militar do Sudeste para ocupar ministério de Bolsonaro. Durante a transmissão de comando, realizada nesta quarta-feira (03) em São Paulo, o general pediu: “Orem por mim em Brasília.”

O pedido foi repetido várias vezes pelo novo ministro-chefe da Secretaria de Governo, que será sucedido no Comando Militar do Sudeste (CMSE) pelo general Marco Antonio Amaro dos Santos.

As orações foram pedidas por Ramos aos convidados que foram assistir à cerimônia de transmissão de cargo dele para Amaro, que contou com a presença do presidente Jair Bolsonaro e do vice general Hamilton Morão.

Em seu discurso de despedida, Ramos disse esperar não decepcionar os amigos que deixou em São Paulo. “Sei que sou um general impetuoso e agoniado, mas assim sou e não mudarei.”

Afirmou ainda sentir uma dor no peito ao deixar a farda “que permanecerá impregnada até a minha medula”. “E o coturno no armário com o sentimento de cumprimento do dever e o amor à Pátria. Jamais deixarei de ser soldado. Não importa a aparência externa e sim a essência. Sou combatente. Assim minha alma foi forjada nesses 46 anos de serviço”. 

Escrituras

O novo ministro também citou a Bíblia e disse que pede a Deus “a sabedoria de Salomão e a capacidade e articulação de José do Egito”. Disse ainda que se apresentará para a “honrosa missão imposta pelo Senhor”.

Ramos, que será responsável pela articulação política do Palácio do Planalto com o Congresso, agradeceu a Bolsonaro sua condução ao Ministério: “Obrigado, presidente, por confiar em mim tarefa vital. Sob a sua liderança, alçaremos voos juntos e nos lançaremos nesse salto gigante rumo ao futuro mais promissor do Brasil.”

Para assumir a interlocução, a Secretaria de Governo terá em sua estrutura a Secretaria Especial de Assuntos Parlamentares, que substitui a Subchefia de Assuntos Parlamentares antes abrigada na Casa Civil. A pasta de Onyx, por sua vez, extinguiu a secretaria voltada para o Senado e transformou a secretaria criada para tratar com a Câmara na Secretaria Especial de Relacionamento Externo.

No início da sua fala, o presidente Jair Bolsonaro também brincou com o deputado Marco Feliciano, da bancada evangélica, e se referiu ao novo ministro como "Pastor Ramos".

Citou, ainda, o trecho da oração do paraquedista, lembrando que ele e o ministro estiveram juntos na Brigada Paraquedista. "Sua vida (no ministério) vai ser difícil, mas não tão difícil como essa (dos paraquedistas) não", disse Bolsonaro em tom de brincadeira. Ao final, afirmou que o governo tem que dar certo e que todos terão orgulho de integrar a equipe no futuro.

Pela primeira vez desde a redemocratização, um presidente da República assistiu à transmissão de comando no CMSE. Além de Bolsonaro, o vice-presidente e três ministros, estavam ali o comandante da Marinha, almirante Ilques Barbosa Junior, o governador João Doria, o senador Major Olímpio (PSL-SP) e mais de uma dezena de deputados. 

veja também