Homem com síndrome de Down faz 76 anos e torna-se símbolo da luta contra o aborto

Grupo pró-vida afirma que ainda existem conceitos errôneos sobre a vida com síndrome de Down e bebês com a doença são alvo de aborto.

fonte: Guiame, com informações do Live Action

Atualizado: Sexta-feira, 12 Junho de 2020 as 9:26

George McCullagh comemora 76 anos de vida apesar dos prognósticos médicos. (Foto: Reprodução / Right to Life)
George McCullagh comemora 76 anos de vida apesar dos prognósticos médicos. (Foto: Reprodução / Right to Life)

George McCullagh acaba de completar 76 anos. Acredita-se que ele seja a pessoa mais velha que vive com síndrome de Down na Irlanda do Norte e no Reino Unido.

Por sua condição, seus pais foram avisados ​​de que ele não chegaria à adolescência, mas no dia 1º de junho George comemorou mais um ano de vida.

George é uma espécie de símbolo pró-vida e sua família mostrou apoio a um movimento que rejeita uma lei de aborto extremo que permite o procedimento até pouco antes do nascimento para bebês diagnosticados com síndrome de Down.

Enquanto a Assembleia da Irlanda do Norte se preparava para votar uma moção para rejeitar a lei de aborto extremo imposta ao país pelo governo do Reino Unido, Paul Given, um parlamentar do DUP (Partido Unionista Democrático) que trabalha para impedir a lei, disse que a família apoia a moção pró-vida.

"Nós amamos nosso pequenino irmão e ele nos trouxe muito amor e alegria”, conta a irmã de George que afirma que ele tem uma ótima vida.

George é o único filho homem de Mary Elizabeth e William George, que tiveram três filhas.

Depois que ele provou que os médicos estavam errados e continuou a prosperar na adolescência, os médicos disseram que ele não viveria além dos 20 anos. "Quando ele chegou aos 20, os médicos não tinham o que falar", disse sua irmã Eileen Miller ao Belfast Telegraph.

Adora ir à igreja

Eileen diz que George sempre adorou ir à igreja, assistir a filmes de faroeste, ouvir música, e ele teve uma infância feliz, durante a qual ajudaria com os animais da fazenda. O homem agora reside na Marina Care Home, onde está sendo cuidado.

Devido à pandemia da Covid-19, a família de McCullagh não pôde passar seu aniversário com ele, mas Eileen deixou presentes e bolos para ele e o chamou para um bate-papo por vídeo com suas outras duas irmãs.

"Foi emocionante para nós", disse Miller. "Todos sabemos os motivos pelos quais não o pudemos visitar hoje. Ele traz muito amor à família e estamos muito satisfeitos com os esforços que a equipe da Marina Care Home fez para cuidar dele.”

Ele também recebeu mensagens de aniversário de todo o mundo. "George está envolvido com a vida profissional há muito tempo e ele se tornou uma celebridade por isso", explicou ela. "Ele está amando toda a atenção”.

"Ele deveria ir a Londres com a Associação da Síndrome de Downs, mas se ele conseguir fazer isso no futuro, estará lá", acrescentou Eileen. "Sempre dissemos que, se George puder ajudar a salvar uma vida, ele terá feito mais do que a maioria".

Avanços na medicina

Os avanços na medicina mais que dobraram a expectativa de vida média das pessoas com síndrome de Down.

Na década de 1980, eles geralmente não viviam além dos 30 anos de idade, mas hoje suas vidas se tornaram semelhantes às de seus colegas típicos. Ainda existem conceitos errôneos sobre a vida com síndrome de Down e crianças pré-nascidas com a doença são cruelmente alvo de aborto.

Embora não mude a lei, a Assembleia da Irlanda do Norte votou pela rejeição da lei do aborto extremo, na esperança de que ela afete o resultado de uma votação futura sobre o assunto no Parlamento do Reino Unido.

veja também