Homem confessa crime à polícia após se converter: "Eu era cego sem Cristo"

Brian Hawkins se entregou à polícia da Califórnia baseada no arrependimento diante de sua nova fé cristã.

Fonte: Guiame, com informações de Christian NewsAtualizado: segunda-feira, 15 de janeiro de 2018 14:45
Brian Hawkins se entregou à polícia para confessar um assassinato cometido há 25 anos. (Foto: Reprodução/KRCR)
Brian Hawkins se entregou à polícia para confessar um assassinato cometido há 25 anos. (Foto: Reprodução/KRCR)

Um homem se entregou à polícia da Califórnia, nos Estados Unidos, para confessar um assassinato cometido há 25 anos. Segundo Brian Hawkins, de 44 anos, sua decisão foi baseada no arrependimento diante de sua nova fé cristã.

“Deus e Cristo e essas coisas que aconteceram ao longo de 25 anos me levaram a fazer o certo”, disse Brian à rede de televisão KRCR. “Eu sei que o erro não pode ser alterado, mas este é o passo mais próximo que posso dar do que é certo”.

Brian se apresentou esta semana na KRCR para confessar o assassinato de Frank McAlister, que foi morto em 1993 aos 19 anos. A polícia acredita que Frank foi morto durante o assalto e teve seu corpo enterrado em uma floresta. Seu carro foi encontrado abandonado no estacionamento de um supermercado com uma “grande quantidade de sangue”.

Brian não queria falou à imprensa sobre os detalhes do caso, mas queria que o público soubesse que ele se voltou para Deus e que isso o motivou a confessar o crime. Ele disse que ele estava “cego” vivendo sem Cristo e que passou a se arrepender desde então.

“Cada minuto dos meus dias tem sido um pesadelo”, afirmou Brian. “É meio estranho. Frank nunca pôde ter uma vida, mas nós éramos adolescentes. Agora tenho 44 anos e ainda não tive uma vida, e provavelmente não vou ter de qualquer forma”.

Em lágrimas, Brian disse que espera o perdão das pessoas e acredita que Deus já o perdoou, mas ele sabia que ele tinha que confessar. Ele conta que também procurou a família McAlister, mas o pai de Frank morreu antes de terem uma conversa.

O canal KRCR concordou em entrevistar Brian, mas liberou as imagens de suas declarações apenas depois de sua apresentação à polícia. Brian foi preso ao lado de seus cúmplices Shanna Culver, de 46 anos, e seu irmão Curtis Culver, 45.

Na ocasião do crime, os três haviam negado participação no assassinato aos investigadores em 1993 e foram liberados por falta de provas. “Eu atravessei o inferno toda a minha vida por causa disso”, disse Brian, explicando que ele foi consumido pela culpa.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições