Igreja é acusada de homofobia por não batizar homossexual, em Aracaju

Depois que o pastor esclareceu as normas da igreja, a Polícia Civil foi acionada.

Fonte: Guiame, com informações do g1Atualizado: terça-feira, 17 de maio de 2022 12:00
João Pedro Poderoso e Jadson Santana acionaram a Polícia Civil. (Foto: Balanço Geral Sergipe/TV Atalaia)
João Pedro Poderoso e Jadson Santana acionaram a Polícia Civil. (Foto: Balanço Geral Sergipe/TV Atalaia)

Uma igreja evangélica em Aracaju foi acusada por um casal gay de homofobia por se recusar a batizar um deles no último domingo (15). O caso está sendo investigado pela Polícia Civil de Sergipe.

O fotógrafo João Pedro Poderoso, que estava no culto com seu marido, o cabeleireiro Jadson Santana, estava entre aqueles que pretendiam ser batizados na Igreja Presbiteriana Renovada de Aracaju.

Em entrevista ao G1, João Pedro disse que aguardava ser chamado para o batismo, quando foi chamado para conversar com o pastor de forma privada.

“Eu fui chamado por um líder e levado a uma sala, onde ele me informou que o pastor gostaria de falar comigo e chegando lá, ele me informou que eu não poderia ser batizado porque eu era homosexual e casado com outro homem”, disse João Pedro. 

Ele ainda alegou que “toda a igreja sabia” de seu relacionamento homoafetivo e que “já frequentava a igreja há um ano”. Ele afirmou também que fez um curso preparatório de seis semanas e não foi informado “em momento algum” que não poderia participar do batismo.

Igreja defende princípios bíblicos

Em uma nota pública divulgada na segunda-feira (16), a Igreja Família Renovada explicou que para ser batizado e se tornar membro da igreja, os congregados ou visitantes passam pelo curso “Primeiros Passos”, onde conhecem os ensinamentos da Palavra de Deus e as normas da denominação.

“No dia de ontem, um congregado, candidato ao batismo, por não estar apto, segundo as normas internas da IPRA e nossa regra máxima de fé e prática, a Bíblia Sagrada, não pôde participar do ato batismal”, informou o comunicado.

A igreja esclareceu ainda que comunicou João Pedro sobre a impossibilidade de seu batismo “de modo reservado, em espaço privativo, na secretaria da igreja, sem publicização do mesmo, ou mesmo das razões do impedimento, com vistas a evitar qualquer tipo de constrangimento.”

O pastor Josepetti de Andrade, um dos líderes da igreja, fez um vídeo nesta segunda-feira lembrando que a Constituição Federal nos garante uma liberdade de crença, de consciência e uma liberdade religiosa. Ele ainda destacou: “Todos são muito bem-vindos à Família Renovada, mas nós não abrimos mão dos princípios e valores que a Palavra de Deus nos diz.”

João Pedro e Jadson registraram um Boletim de Ocorrência no Departamento de Atendimento a Grupos Vulneráveis (DAGV), da Polícia Civil de Sergipe. A igreja está lidando com o caso através de advogados.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições