Kim Jong-un reaparece em público na Coreia do Norte, após rumores de sua morte

A mídia estatal norte-coreana divulgou fotos que mostram o ditador participando da abertura de uma fábrica de fertilizantes.

fonte: Guiame, com informações do The Guardian

Atualizado: Segunda-feira, 4 Maio de 2020 as 11:10

Kim Jong-un inaugurou fábrica de fertilizantes na Coreia do Norte, neste sábado (2). (Foto: KCNA via Reuters)
Kim Jong-un inaugurou fábrica de fertilizantes na Coreia do Norte, neste sábado (2). (Foto: KCNA via Reuters)

O líder da Coreia do Norte, Kim Jong-un, apareceu em público pela primeira vez neste sábado (2) em quase três semanas, após especulações de que ele estaria à beira da morte após uma cirurgia cardíaca.

A agência de notícias estatal KCNA divulgou fotos que mostram Kim na inauguração de uma fábrica de fertilizantes em Sunchon, norte da capital Pyongyang. A fonte informou que Kim cortou a fita de inauguração acompanhado por outras autoridades, incluindo sua irmã mais nova, Kim Yo-jong.

A autenticidade das fotos, publicada no site do jornal oficial Rodong Sinmun, não pôde ser comprovada.

Donald Trump disse no Twitter que estava “feliz” por Kim ter reaparecido. “Eu, por exemplo, fico feliz em ver que ele voltou, e bem!”, disse o presidente dos Estados Unidos no sábado.

O líder norte-coreano foi visto em público pela última vez em 11 de abril, quando presidiu uma reunião do Partido dos Trabalhadores do país. A mídia estatal não publicou fotos de Kim por 20 dias após essa data, mas publicou relatórios de sua rotina diária, incluindo mensagens diplomáticas enviadas a outros líderes mundiais.

As especulações sobre seu paradeiro ganharam ritmo após faltar às celebrações do aniversário de seu avô e fundador da Coreia do Norte, Kim Il-sung — que é o evento mais importante no calendário político do país. Foi a primeira vez que Kim perdeu o evento desde que se tornou líder.

Rumores sobre Kim Jong-un

Os rumores de que Kim estava em estado grave começaram com um relatório sul-coreano alegando que ele havia passado por um “procedimento cardiovascular” em 12 de abril no hospital Hyangsan, perto de Pyongyang, e estava se recuperando em uma casa nas proximidades do Monte Myohyang.

O Daily NK, um site de Seul com fontes secretas na Coreia do Norte, afirmou que a saúde de Kim estaria piorando desde agosto do ano passado devido ao intenso consumo de cigarros, obesidade e excesso de trabalho. Uma autoridade americana, citada pela CNN, chegou a dizer que Kim estava “em grave perigo”.

Dias depois, o 38 North, um projeto de monitoramento da Coreia do Norte com sede em Washington, disse ter analisado imagens de satélite que mostravam o trem de Kim estacionado em Wonsan, um resort na costa leste onde o líder tem uma casa de férias altamente vigiada.

Mas o escritório do presidente sul-coreano, Moon Jae-in, disse que não detectou sinais incomuns na Coreia do Norte ou qualquer reação de emergência por parte de seu partido, exército ou gabinete. Seul disse acreditar que Kim ainda estava administrando assuntos do Estado, mas permanecendo em um local não identificado nos arredores de Pyongyang.

Autoridades de defesa dos EUA disseram que não havia evidências de que Kim havia perdido o controle das forças armadas do país.

Não é a primeira vez que o fato de Kim não aparecer em público desencadeia especulações sobre sua saúde. Em 2014, ele desapareceu por quase seis semanas antes de reaparecer com uma bengala. Dias depois, a agência de espionagem da Coreia do Sul disse que havia sido submetido a uma cirurgia para remover um cisto do tornozelo.

veja também