Nova York pode ser primeira cidade a pagar por abortos através de financiamento direto

Conselho municipal votará esta semana sobre o uso de US$ 250.000 específicos para o aborto na cidade.

fonte: Guiame, com informações do Christian Headlines

Atualizado: Terça-feira, 18 Junho de 2019 as 12:05

NY pode financiar aborto com recursos públicos. (Foto: Reprodução/Lounder)
NY pode financiar aborto com recursos públicos. (Foto: Reprodução/Lounder)

Uma votação do conselho municipal de Nova York decidirá se a cidade pagará por abortos através de financiamento direto. O dinheiro é para mulheres de baixa renda e parte de um novo orçamento.

Caso seja aprovado, haverá uma alocação proposta de US$ 250.000 para o Fundo de Acesso ao Aborto de Nova York, tornando a cidade a primeira com esse tipo de financiamento. Espera-se que o conselho da cidade vote esta semana.

Os defensores do novo fundo dizem que o dinheiro servirá para os cidadãos de Nova York e de outros estados terem consciência de seus direitos.

“Esta iniciativa não apenas torna Nova York a primeira cidade do país a financiar diretamente os serviços de aborto, mas também permite que qualquer americano que esteja enfrentando crescentes restrições ao aborto em seu estado de origem saiba que eles podem obter os serviços de que necessitam nos cinco distritos", disse a conselheira Carlina Rivera em um comunicado.

“Este fundo é apenas mais um sinal, outro exemplo de como o Estado de Nova York e a cidade de Nova York têm que ser o líder nessa questão", defendeu Rivera.

Embora outras cidades financiem o aborto por meio de seguros administrados pelo governo, acredita-se que Nova York se tornaria a primeira cidade a destinar recursos especificamente para o aborto.

O Fundo de Acesso ao Aborto de Nova York comemorou a notícia no Facebook: “Isso torna NYC a primeira cidade do país a financiar diretamente o aborto - e isso é algo para comemorar!”.

A organização, segundo descreve em seu site, “apóia quem não pode pagar totalmente por um aborto e está vivendo ou viajando para o Estado de Nova York”.

O prefeito da cidade de Nova York, Bill de Blasio, aplaudiu o financiamento.

“Entendemos que há mulheres que precisam de ajuda e estão tendo problemas para conseguir a ajuda de que precisam, e a cidade teve aqui uma oportunidade de intensificar”, disse ele.

A instituição Direito à Vida do Estado de Nova York exortou os cidadãos a se manifestarem e se oporem à alocação.

“Os contribuintes [de Nova York] infelizmente já pagam por abortos através do programa Medicaid (algo que a NYSRTL há muito procura mudar) e indiretamente por meio de prêmios de seguro saúde (por causa do decreto do governador)”, disse a organização em sua página no Facebook.

“Agora, a capital do aborto do mundo NYC pode realmente usar verbas do contribuinte da cidade para um fundo de sedução para vir acabar com seus filhos. Os cidadãos de Nova York chamam seus membros do Conselho da Cidade para impedir isso”, conclamou a instituição.

 

veja também