Filha de líderes do Talibã abandona terrorismo após ser curada por Jesus

Sameera* sempre culpou os cristãos pela guerra que se espalhou pelo Afeganistão, sua terra natal, mas uma visão de Jesus mudou sua vida.

fonte: Guiame, com informações da Bibles for Midlle East

Atualizado: Quarta-feira, 18 Abril de 2018 as 9:49

Mulheres são obrigadas a usarem burca no Afeganistão. (Foto: Breitbart)
Mulheres são obrigadas a usarem burca no Afeganistão. (Foto: Breitbart)

Sameera* cresceu em uma família muçulmana fanaticamente fundamentalista, que liderou o estabelecimento do Talibã no Afeganistão. Eles acreditavam firmemente que o mundo inteiro deveria ser governado de acordo com a lei islâmica Sharia, e qualquer um que não seguisse a Sharia deveria morrer.

Durante o seu reinado oficial de terror no Afeganistão (1996-2001), o Talibã assassinou milhares de pessoas e destruiu incontáveis ​​igrejas e templos. Quando as forças lideradas pelos EUA atacaram o Afeganistão em 2001, Sameera tinha sete anos. Três de seus irmãos morreram no ataque e sua irmã mais velha desapareceu. **

Sua mãe, completamente abalada pelas tragédias, logo desenvolveu problemas cardíacos. Quando seu coração começou a falhar e sabendo que ela enfrentava a morte iminente, ela implorou a seu marido que levasse os filhos restantes - Sameera e seu irmão de quatro anos - e fugisse do Afeganistão a qualquer custo e de qualquer forma. Como muitos em seu país, eles acreditavam que os cristãos estavam por trás da invasão, com o objetivo de destruir sua nação e sua religião.

Então, logo depois que sua mãe morreu, Sameera nem mesmo teve tempo de enterrá-la e já teve de fugir de casa com seu pai. Ele sabia que era praticamente impossível escapar sem ser visto pelo exército invasor, mas também sabia que tinha que tentar.


Semente do Evangelho

A jovem família não conseguiu ir muito longe e já foi capturada pelas forças armadas em um caminhão militar que patrulhava as ruas. O pai de Sameera tinha certeza de que eles seriam mortos. Mas quando os soldados viram os pequeninos inocentes com ele, ficaram comovidos. Sameera tem uma memória clara daqueles militares, em seguida, juntando as mãos e realmente orando naquele caminhão, com os olhos cheios de lágrimas. Ela ouviu as palavras "Senhor Jesus" repetidas vezes. Enquanto ela não tinha ideia do que eles estavam dizendo, ela memorizou o nome "Jesus", de alguma forma, mantendo-o alojado em seu coração.

Quando o caminhão chegou a uma área deserta, os soldados tocaram gentilmente cada um deles nos ombros e disseram-lhes para fugir dali. Sabendo que a família não conseguia entender o inglês, eles fizeram o possível para serem compreendidos, gesticulando e apontando para as crianças. Um dos soldados ali tentou explicar, em lágrimas, que ele e todos aqueles homens também tinham filhos pequenos, como Sameera e seu irmão em suas casas nos EUA. A família finalmente percebeu que os homens estavam insistindo para que escapassem e, quando saíram do caminhão, os soldados novamente falaram, usando o nome de Jesus - provavelmente, orando para que o seu Senhor Jesus abençoasse e protegesse a família.

Depois de uma jornada cansativa que durou muitos dias, a família acabou em um reino do Oriente Médio. O pai de Sameera encontrou emprego e trabalhou duro para sustentar a ela e seu irmão.

Ódio crescente

Sempre que Sameera pensava em seus irmãos, sua mãe e outros parentes mortos e desaparecidos, crescia sua raiva contra os cristãos, os supostos “invasores” do Afeganistão. Então ela prometeu lutar contra eles até a morte. Todos os dias, ela e sua família oravam a Alá, pedindo força e coragem para a batalha. O irmão de Sameera achava que sua melhor opção era sair de casa e se juntar ao Estado Islâmico, o que ele fez há quatro anos.

Oito meses atrás, o pai de Sameera morreu em um trágico acidente. Estando tão perto dele, o choque da perda se mostrou insuportável para ela. Sua angústia emocional e mental aumentaram ainda mais quando seu irmão não apareceu para o funeral de seu pai. Ninguém sabia onde ele estaria ou mesmo se ainda estaria vivo.

Propósito

Sameera ficou cada vez mais perturbada psicologicamente e até violenta, a ponto de precisar ser internada em um hospital psiquiátrico e confinada a uma sala separada.

Mas uma das funcionárias do hospital também era uma cristã e evangelista voluntária da missão Bíblias para o Oriente Médio. Ela amava e cuidava de Sameera como uma irmã, orando por ela e passando tempo com ela em seu isolamento. Ela frequentemente compartilhava seu testemunho de ter sido uma muçulmana, bem como sua decisão de deixar o Islã e a abraçar a mensagem do evangelho.

Com o crescimento da amizade, um dia ela orou por Sameera em nome de Jesus. Então a jovem muçulmana se lembrou de sua infância, quando aqueles soldados no Afeganistão também oraram por ela quando menina, usando também o nome Jesus. Os mesmos homens que haviam mostrado à sua família uma amabilidade inesperada e os ajudaram a escapar da zona de batalha.

Enquanto ela dormia naquela noite, o Senhor Jesus Cristo apareceu antes em um sonho.

"Você não está sozinha", ela O ouviu dizer. "Eu estou sempre com você para te consolar". Ele mostrou a ela as mãos com cicatrizes dos pregos e as feridas em seu corpo. “Eu sofri tudo isso - fui crucificado na cruz do Calvário, morri e ressuscitei dos mortos - por você e pela sua salvação. Pelo meu sangue tu és lavada e pelas minhas feridas você é curada. Você não é mais uma paciente daqui. Acredite em mim e siga-me”.

Ela acordou imediatamente, pulou da cama louvando o Senhor e tentou orar sozinha em nome de Jesus.

Logo cedo, na manhã seguinte, ela pediu para ver aquela enfermeira cristã. Quando sua amiga chegou ao seu leito, Sameera compartilhou alegremente o que havia acontecido. A deu glórias a Deus, enquanto elas estavam de mãos dadas, ajudou a moça a fazer uma oração para se entregar a Jesus Cristo como seu próprio Salvador e Senhor pessoal.

A funcionária mais tarde apresentou Sameera ao seu pastor, que começou a visitá-la e a orar por ela também.

Quando foi dispensada logo depois do hospital, Sameera não tinha para onde ir. A dona da casa onde ela morava retomou o imóvel quando a moça foi internada, porque sua família não tinha mais como pagar o aluguel.

Assim, o pastor da Bíblias para o Oriente Médio conseguiu um lugar para Sameera ficar, junto com outras mulheres da Missão, onde ela permanece, estudando a palavra de Deus e ministrando ao lado delas.

Ela compartilhou seu testemunho com sua nova igreja e comprometeu o resto de sua vida com o ministério do Senhor. A pedido dela, o pastor a batizou.

Ainda não há informações sobre o irmão de Sameera. Caso ele ainda esteja vivo e volte para visitar a irmã, não se sabe como ele poderia reagir ao fato de sua irmã se tornar uma cristã. Por isso, a Bíblias para o Oriente Médio tem pedido orações por Sameera e também pela salvação de seu irmão - caso ele ainda esteja vivo.

 

*Nome alterado por motivos de segurança.

veja também