Análise: André Valadão - 'Aliança'

Análise: André Valadão - 'Aliança'

Atualizado: Quarta-feira, 21 Março de 2012 as 12:13

André Valadão é um dos ministros mais conhecidos do Brasil. Há 11 anos é pastor e há 7 segue carreira solo na música. Já vendeu mais de 1,5 milhões de CDs e mais de 200 mil DVDs. Suas canções são tocadas nas rádios e webrádios de todo o país, alcançando, inclusive, países que falam a Língua Portuguesa. Seus videoclipes inovadores levam mensagens impactantes encorajando com palavras de amor, fé e esperança em Deus. 

Compositor nato, André assina a composição de todas os seus discos, com exceção de "Clássicos", "Clássicos de Natal" e "Minhas Canções". Em sete anos de carreira gravou nove CDs solo, sendo Disco de Ouro e Platina em todos eles, inclusive o último CD (Minhas Canções) lançado recentemente. São os álbuns: "Mais que Abundante" (2004); "Milagres" (2005); "Alegria" (2006); "Clássicos" (2007); "Sobrenatural" (2008); "Unidos – André Valadão & Delirious" (2008); "Clássicos de Natal" (2008); "Fé" (2009) e "Minhas Canções" (2010). 

O álbum Aliança, o novo CD do Pr. André Valadão, foi gravado na Igreja Batista da Lagoinha, em Belo Horizonte, com a presença de mais de 6 mil pessoas . 

O álbum, que é distribuído pela Onimusic, possui um repertório composto por 13 faixas, sendo 3 espontâneos e 10 canções totalmente inéditas. Tem produção musical de Ruben Di Souza e foi masterizado em Nova York (Estados Unidos) por Tom Coyne, um dos mais respeitados técnicos em masterização do mundo. 

Com layout moderno, inovador, o novo álbum traz o símbolo do arco íris em seu projeto gráfico e foi inspirado na Aliança que temos com Deus, descrita em Gênesis 9:13: “O Meu arco tenho posto nas nuvens, e ele será por sinal de haver uma aliança entre Mim e a terra”. O disco nos propõe abraçar esta realidade. Trazer à nossa memória a certeza de quem é Deus, reafirmar o pacto que o próprio Senhor fez, declarando que nunca nos abandonaria. 

Eu tenho uma aliança é um pop rock alegre, coeso e ideal para ministrar com a igreja. Destaque para as linhas de baixo e para a pegada da bateria que ficaram bem a frente da mixagem em relação as guitarras, que só sobressai na hora dos riffs. 

Nada pode quebrar foi o primeiro vídeo divulgado deste projeto. [clique aqui para assistir]. Baixo e batera continuam bem nítidos, mas desta vez dividem a atenção com os riffs e efeitos de guitarra. 

Ainda na linha pop rock temos Banquete que é conduzido por um looping e por efeitos de sintetizador, onde Rubinho explora usa um timbre que era muito usada pelas bandas de rock progressivo nas décadas de 70 e 80. 

A seguir temos uma balada cativante e envolvente. Em Majestoso, o instrumental vai crescendo a medida que o arranjo se desenvolve. Destaque para o efeito de guitarra “pizzicato” (pica-pau), para as coberturas de teclado e para a dinâmica da banda. Emenda com o primeiro Espontâneo do CD que versa sobre restauração. 

Na faixa seis encontramos a canção Aliança de amor que mantém o repertório em clima da balada, mas sem perder a pegada pop rock. Aqui o destaque vai para as coberturas da orquestra, escritas pelo maestro Márcio Pontes “Caixote”. 

Emenda em outro Espontâneo, desta vez ministrando sobre o relacionamento entre o homem e Deus. Prega também sobre compromisso, renúncia e sacrifício, ingredientes necessários para ter uma aliança verdadeira com Deus. No final André traz uma palavra confrontante e reflexiva. “Onde está esta igreja que não jejua e ora por causa de uma conquista financeira? Onde está a igreja que não fica orando de campanha em campanha em torno de satisfação própria? Onde está a igreja que anda pelas ruas e diz – Jesus está voltando?” Só ouvindo mesmo para conferir. A orquestra continua marcando presença no momento da ministração, criando um ambiente empolgante 

Minha oração é um momento de contrição e entrega interpretada de forma melódica e suave pelo cantor e pela banda. Aqui ouvimos o terceiro Espontâneo do set list. Destaque para as texturas do arranjo, com camadas densas e cadenciadas. Versa sobre confiança na provisão e proteção de Deus. A dinâmica do espontâneo é um caso a parte. Somzeira! 

André Valadão assume o piano e acompanha ele mesmo em Nada vai me separar de Ti, que é o louvor que gerou o segundo clipe do projeto. [clique aqui para assistir] Aqui, mais uma vez, podemos curtir as coberturas da orquestra que conduz o encadeamento harmônico da canção. 

Um dos maiores sucessos do Ministério Diante do Trono surge com uma nova roupagem na faixa 11.Águas purificadoras ficou interessante, mas nada além disso. Serve mesmo para preencher o repertório. 

Para terminar a gravação, temos duas versões de conhecidos sucessos internacionais. 

Só por Jesus é uma versão para “All because of Jesus” de Steve Fee. Aqui, a canção perdeu um pouco da pegada britânica da versão original e também, os instrumentos estão mais lineares, enquanto que, na versão original, as guitarras sobressaem o tempo todo. A música se encaixou bem no repertório do álbum. 

Dia feliz é uma versão para Happy Day,de Tim Hughes. O louvor é um momento de júbilo, fruto de um pop rock alegre e festivo. 

A identidade visual do projeto foi assinado pela Imaginar Design responsável pelo conceito que também foi explorado no site e redes sociais de André Valadão, que disponibiliza wallpapers e ícones personalizados do Aliança. 

Um diferencial esta no projeto do site, que traz o conceito de One Page. Hoje esse tipo de site está no topo da comunicação eficiente. O nome diz tudo: são sites que não tem paginação, todo o conteúdo é exibido em uma única página ou quase. “A grande vantagem de se projetar o portfólio nesse formato é clareza. As peças estão dispostas de forma simples, rápida e com uma navegação intuitiva”, comenta Castro.

veja também