Análise: CD Daniela Araújo

Análise: CD Daniela Araújo

Atualizado: Quarta-feira, 21 Março de 2012 as 10:48

Ela chegou devagarzinho, com seu jeitinho de menininha e voz meiga, e conquistou os jovens com seu timbre inconfundível e sua música alternativa. 
A cada apresentação, a expectativa do CD solo só aumentava e seu, já então, público fiel a acompanhava pelos vídeos no YouTube e suas participações especiais em outros trabalhos. Depois de muita espera, chega o tão aguardado CD, lançado simplesmente por uma das maiores gravadoras gospel do país, a Sony Music.

"Daniela Araújo" é um álbum praticamente autoral, pois Dani assina 13 das 15 faixas do CD, com algumas parcerias com o maridão Leonardo Gonçalves. O álbum traz uma proposta bem diferente no que se refere a música gospel brasileira, uma levada bem pop/rock comumente norte-americano. Algumas letras metafóricas, outras mais profundas e reflexivas. A arte do álbum traz um ar de ingenuidade, um recente nascimento de uma cantora que vem desafiando novos horizontes, enfrentando medos e se "mostrando ao mundo", com uma mensagem de esperança própria em um Deus pessoal e amigo. Produzido por Daniela, co-produzido por Leonardo Gonçalves e Jorginho Araújo (seu irmão) e produção vocal de Blacy Gulfier. O álbum é aberto com "Milímetro", suave e reflexiva. Música bem curta que fala sobre reestruturar a vida, tirando tudo que é desnecessário, exaltando nossa pequenez e insignificância nesse mundo e no tempo, onde nada é novo para Deus. Apesar da licença poética, uma coisa que para mim ainda ficou no ar foi a definição de que "como um milímetro de um segundo é a minha existência no mundo". Ainda não consegui ter abstração suficiente para entender o sentindo de milímetro onde seria milésimo. Quem souber, favor elucidar esse pobre mortal aqui. Apesar disso, a música é muito boa e não poderia ter sido escolhida melhor para começar o álbum. Ainda na temática de tempo, entra em cena "Tempo". Como óbvio, a música fala sobre as diversas faces do tempo e que ele é o que pode dar a chance de recomeço, onde posso encontrá-Lo e segurar Sua mão. Com uma pegada mais forte e introduzindo o estilo pop/rock no disco, a música cresce chegando ao ápice, onde entra Leonardo Gonçalves como vocal e o show de percussão e de interpretação de Daniela. Música muito fera. "Guia-me", lançada como single pela Sony, mostra o lado metafórico do disco, trazendo uma letra com duas dimensões onde Deus começa falando ao filho e depois invertendo para o filho falando ao Pai. Não é à toa que essa música foi escolhida para ser o carro-chefe do CD e já conquistou o público logo de cara, até porque é, senão a melhor, uma das melhores. Tanto no arranjo e melodia, quanto na interpretação de Daniela, a música conquista o ouvinte, trazendo uma mensagem de um Deus que ampara um filho arrependido. Também numa levada pop/rock, a música cresce e encorpa de maneira excepcional. "E esse alguém sou eu, não direi adeus. Eu sei bem aqui dentro que o Senhor não me esqueceu. Então abre os meus olhos pra que eu possa ver. Quero ver Teu amor refletido em mim, abro mão de mim mesmo, guia-me." Trazendo o pop do CD, "Conexão" entra e traz alguém que aprendeu que basta a cada dia seu próprio mal e é só olhando para Ele que se pode compreender o que se passa no coração. Música bem gostosa de se ouvir e sem excessos. "É só olhar para Ti e eu entendo tudo que se passa aqui dentro." 

Em seguida entra a música que na minha opinião é a mais pesada tanto no arranjo, quanto letra e interpretação vocal. "Dimensão da Luz", letra de Dani e LG, traz a mensagem de um convite onde Deus chama seu filho a com Ele cear. O começo bem suave e sublime não dá a idéia de que a música vai se tornar tão pesada mais pra frente, onde metais e guitarras fazem a festa, entra em cena o rock alternativo e a interpretação vocal de Daniela fica vibrante. A música é muito boa, mas vai chocar a primeira vista quem tem mente aberta mas nem tanto. Nessa música, Dani confirma que não está presa aos nossos padrões de música. É........ "Na dimensão da luz vejo o Senhor meu nome a chamar. É o meu Rei Jesus que me convida a mesa a me sentar e com Ele cear." "Santificação" entra e quebra o clima pesado da música anterior, com a suavidade dos violões, um vocal masculino e um acordeon dando uma palhinha muito legal. "Não quero me enganar, pensar que estás perto quando longe estou. Não quero me iludir, Senhor, de mim mesmo venha me salvar."  "Dono dos Meus Dias" tem a participação do irmão de Daniela, Jorge Araújo. Essa música já era conhecida de quem acompanha a cantora há mais tempo, em vídeos do YouTube. A música fala de alguém que reconhece um Deus dono de tudo, inclusive dos seus dias, e entrega e se entrega a esse Deus. O estilo é pop/rock, e a interpretação de Dani dá outro show. "És o dono dos meus dias, sempre comigo todo o tempo, és o centro da minha vida, que seja Teu o meu pensamento." Muito legal. Enfim, as famosas cordas gravadas em Praga entram em cena no "Interlúdio Jugo Suave" e em "Jugo Suave", introduzindo o clássico no CD. Essa é pra fechar os olhos e se sentir num grande teatro, numa suavidade e uma sublimidade excepcionais. A letra fala de um alguém que deseja aliviar seus fardos, quer se entregar ao Pai e sentir Sua presença suave e leve. "Não quero ser tão humano, Jesus. Eu quero me entregar a Ti, alivia o meu sofrer, vontades vãs, tanto querer. Não quero ser tão instável, Senhor. Eu quero me entregar a Ti, pois Teu jugo é suave e o Teu fardo é leve." Colada na anterior e mantendo o clássico do CD, "Por Ti", de Dani e LG, traz alguém que sente a presença de Deus, pede para encontrá-Lo e ter coragem de amar até o fim. Música linda, que conta com um jogo de contra-cantos pela própria Dani. Muito gostoso de se ouvir e cantar. "Por Ti, Jesus, eu nunca vou desistir. Eu quero me encontrar em Ti." "Em Gratidão" continua a suavidade das anteriores, trazendo a certeza das promessas de Deus e a necessidade de se entregar a Ele. Música linda! "A Ti eu rendo graças por tudo que virá pois sei, tudo cumprirás. A minha vida é plena de beleza e comunhão, tudo entrego em Tuas mãos."

"Todo Louvor", Dani e LG, traz de volta o pop/rock do CD, mais rock na verdade. Com participação de um vocal masculino sensacional, a música traz o louvor da criatura ao seu Criador. As guitarras fazem a festa novamente, e impressiona a ousadia e a sonoridade ainda nova para nós. "À Quem nos fez todo louvor. Adoremos em santidade, em espírito em em verdade."

"Volta", de Ryldo Lopes, é a música que mais me emociona do CD. Começando bem suave, voz e violão, a música fala de um filho que clama pelo retorno do Pai. Enquanto a música se desenvolve, o instrumental vai aumentando e a interpretação de Daniela vai ganhando mais emoção. Um interlúdio acapella com um quarteto masculino, em seguida entra uma percussão e um grito mais forte pela volta do Pai. De arrepiar! Acertaram em cheio no arranjo instrumental e vocal dessa música. "Por isso peço mais que tudo: volta, volta, minha alma está chorando almejando Te encontrar. Volta, eu Te entrego minha vida agora, oh Senhor, vem me buscar, volta."

"De Deus", de Samuel Silva, chega totalmente orquestrada, mostrando um Deus que sente muita falta de seu filho, que sente saudade da voz e de ajudá-lo, dizendo que o ama e deseja lhe dar outra chance. A letra dessa música é o ponto alto. "Filho... tanta coisa pra dizer, filho... tenho um presente pra você, volta filho, é verdade, Eu gosto muito de você."

E fechando o álbum, a música "Santuário" que já era um hit a cantora antes mesmo de lançar o disco. A versão gravada ganhou um arranjo mais agressivo, mas mantendo a interpretação emocionante. Percussão bem executada unida a orquestra de praga, trouxeram uma das melhores músicas do CD, no estilo pop/rock. E fechando com um posludio bem orquestrado, o CD "Daniela Araújo" termina, deixando o ouvinte extasiado com tanta beleza, qualidade e profundidade.

É fato: o CD veio no padrão Sony Music e não se podia esperar menos do que isso. Eu não esperava menos, mas superou minhas expectativas principalmente na proposta instrumental que Daniela apostou. É bem diferente do que estamos acostumados a ouvir e com certeza vai gerar opiniões controversas, mas a qualidade e a beleza são indiscutíveis. Confesso que esse disco foi um dos mais difíceis dos quais analisei, tendo em vista a complexidade e a oscilação de tantos estilos e arranjos. Confesso também que ainda não tinha uma opinião bem formada até pouco tempo atrás quanto ao álbum, mas no fim das contas percebi que esse é o primeiro CD da cantora, trazendo ao cenário musical um novo rosto não tão desconhecido, e consequentemente um novo som e um novo conceito de música e adoração. É admirável a ausência do medo de inovar. Talvez seja esse medo que impeça tanta gente de mostrar um louvor genuíno e bem pensado, coisa que não aconteceu nesse álbum. Só uma recomendação: ouça esse disco, sem preconceitos musicais. Parabéns, Daniela. Fique deOlhO!

veja também