Análise do CD "Deus é Glorioso" - Pr. Antônio Cirilo

Análise do CD "Deus é Glorioso" - Pr. Antônio Cirilo

Atualizado: Quarta-feira, 25 Abril de 2012 as 12:04

Novembro de 2011 foi o mês de lançamento do disco Deus é Glorioso, sendo o primeiro do Santa Geração pela Graça Music, após dois anos na Som Livre e mais oito anos independentes. 

O encarte, produzido pela Imaginar Design como sempre, é o primeiro em formato digipack. Outra novidade fica por conta da produção musical de Ruben di Souza. 

O álbum traz participações especiais dos familiares de Antônio Cirilo, a cantora Júlia Ribas e líderes da Igreja Batista de Contagem, em Minas Gerais. 

Até essa análise o disco já havia vendido mais de 40 mil cópias e certificado pela gravadora como disco de ouro. Sem mais delongas, vamos às canções. 

Eu Te Buscarei é a primeira canção do trabalho e a única regravação, podendo ser encontrada no álbum “Mais fogo, mais glória”, de 2005. A nova versão ficou muito melhor que a original, principalmente pelo fato desta ser gravada em estúdio. A música é toda cadenciada, é a partir dela que vemos um novo Santa Geração e temos uma expectativa do que virá nas próximas canções. 

Um pandeiro e um cavaco são base de Jesus, Fonte de Vida. Um detalhe especial dessa canção é que os backs são os familiares de Cirilo: a esposa e os três filhos. Boa canção. 

Prepare os ouvidos, pois O Cálice e o Pão é sem dúvida uma das melhores do álbum, tanto no instrumental, quanto na letra. “O pão já foi partido lá na cruz, o Espírito de Deus é o nosso vinho, eu sou da família de Jesus, eu não estou sozinho”. No instrumental, a canção é conduzida por uma pegada nordestina, algo que particularmente eu nunca tinha notado com tanta clareza nos trabalhos do pastor. 

A canção título, Deus é Glorioso é, curiosamente uma das menores do álbum. A música fala sobre a glória e o poder de Deus. 

Vem neste Lugar nos faz lembrar que esta é uma produção de Ruben di Souza. Minha opinião: A canção ficou longa demais, sem falar na sua letra que é pequena, o que a fez ficar meio “melosa”. 

A melhor canção, na minha opinião, é Não Há nada Maior. Não há bateria, nem riffs de guitarra. É toda conduzida num clima intimista. Toda a letra é um pedido pela presença de Deus. “Ela é mais forte que o inferno, mais poderosa que o diabo, mais gostosa que o pecado é a Tua presença.” 

A seguir, temos duas canções: Glória, Estamos Diante de Ti e Meu Louvor. A primeira é mais animada e fala sobre o poder e a glória de Deus. A segunda tem a participação especial de Júlia Ribas. 

Kadosh é mais uma canção totalmente diferente de tudo que o Santa Geração já fez. Somente ouvindo, muito boa! A décima faixa é um Momento de Oração. 

A partir daqui temos as duas últimas canções: Lava o Meu Interior e Apocalipse XIX. A primeira é conduzida num clima intimista. Como diz o título, é uma oração de purificação. A segunda é bem parecida com Kadosh, e fecha a gravação muito bem. 

Eu, particularmente após ouvir o álbum “A Essência é Jesus”, de 2010, tinha muitas expectativas em relação à esse trabalho e ele não me decepcionou, principalmente na questão de inovações, pois trouxe outros ritmos, sem deixar a simplicidade e a essência do Santa Geração. 

Uma coisa que eu gostaria de destacar é a grande diferença da duração das canções. Nos álbuns à 5, 10 anos atrás, por exemplo, as canções de Cirilo ultrapassavam facilmente os dez minutos, e neste não foi assim. Sem falar que a maioria dos álbuns dele não passavam de nove canções, e nesse tivemos onze, o que eu achei muito melhor. 

De 0 a 5, minha nota para esse álbum é 4,5 e sem dúvida foi um dos melhores lançamentos de 2011. 

Recomendo à todos que gostam de discos de qualidade, inovadores e com canções profundas. 

veja também