Análise: "Meus Dias" - Felippe Abreu

Análise: "Meus Dias" - Felippe Abreu

Atualizado: Quarta-feira, 28 Março de 2012 as 3:10

A produção musical de primeiro disco solo de Felippe Abreu -Meus Dias - é assinada por Marcos Costa. Nos arranjos, destaque para a pegada bluesística, que explora as guitarras com timbres interessantes e riffs inteligentes. 

O repertório é autoral, ou seja, todas as 11 músicas são de autoria de Felippe Abreu e algumas com parcerias de amigos. Suas composições contam com estrofes e refrões bem construídos. Os arranjos são basicamente conduzidos pelos violões de Felippe, sempre com teclados ao fundo, cobrindo os espaços dos mesmos com intervenções melódicas das guitarras. 

Como já citei as guitarras em dois parágrafos seguidos, abro aqui um parênteses para citar o guitarristas envolvidos, que são, Cacau Santos, Wandinho Lopes, António “Dé” e Ricardo Mendes. O resto da gig conta com Wandinho Lopes e Leonardo Norbim (contrabaixo), Edu Chai Brum, Jefté e Gabriel Vicentini (bateria) e Diego Guimarães (teclado, piano e produção vocal). 

A produção executiva, a concepção e o design do CD é assinado por Marcus Castro, da Imaginar Design. O disco vem em uma embalagem digipack (que está virando padrão de mercado) e conta com um visual excelente, com destaque para a diagramação do projeto e para as belas fotografias que compõem o encarte. 

Felippe lançou o trabalho em Novembro de 2010 de forma independente, porém desde Agosto de 2011 ele faz parte do cast da Corações Produções, ao lado de nomes como, Davi Passamani, Lucas Souza, Megafone e Rosely Almeida, entre outros. 

A faixa título, que também é o primeiro single do álbum, abre a gravação de forma cativante. A música que possui um clipe bacana [confira aqui], conta com uma bela melodia e uma pegada boa de ouvir. Destaque para o solo de guitarra do Cacau Santos. 

Emenda com Minha decisão que segue a linha cross-over do louvor anterior e versa sobre postura. “Não quero mais viver conforme as circunstâncias, não posso mais viver esperando a vida resolver os meus problemas, deixando os ensinamentos de Jesus para trás”. Mais uma vez, destaque para o solo de guitarra. 

A seguir temos um momento de adoração a Deus, em clima de blues, através da canção Pensando em você. Destaque para o compasso composto 6/8, recurso que é pouco utilizado pelos músicos cristãos em suas composições. 

A faixa 4, Meu coração, é uma oração cantada por Felippe, conduzida por arpejos na primeira parte e por uma pegada bate-estaca na segunda parte. 

Mantendo a idéia da música anterior, Começo do fim possui um clima denso e marcante, muito bem interpretado por Felippe. 

Sempre ao meu lado é uma dissertação de agradecimento pela ação do Espírito Santo em nossa vida. “Você me ensinou a enxergar sua vontade e me mostrou todas as minhas vaidades”. 

Auxiliado pelo pianista Diego Guimarães, Felippe entoa a poética Lembrança, que é outro belo momento de reconhecimento da grandeza e soberania de Deus. “Jogo tudo pra fora, vem me enche agora, eu só preciso de você”. 

Na seqüência temos a pegada pop de História de amor que trata sobre o amor de Deus por nós, apesar de nós. “Eu nunca imaginei que mesmo sem nada a oferecer, você iria me querer”. 

Em Esperar, ouvimos uma participação mais efetiva do back vocal formado por Kamila Tinoco, Sanderson e Carla de Deus. Destaque para a pegada percussiva do arranjo. 

“Mesmo sendo tão grande, poderoso e infinito, moras dentro de mim e sempre estás comigo”. Seu cuidado disserta sobre adorarmos a Deus, sem nos importarmos com as circunstâncias. 

Fechando este ótimo trabalho, ouvimos Tudo em mim, que encerra o set list de forma envolvente. 

veja também