Vocalista do Third Day fala sobre adoção: "Me ajudou a entender o amor de Deus"

A banda já vendeu oito milhões de CDs, ganhou quatro Grammys e mais de 20 Dove Awards (premiação da indústria da música cristã).

Fonte: Atualizado: quarta-feira, 13 de abril de 2016 14:57
Mac teve um real encontro com Deus em seu último ano do ensino médio. (Foto: Divulgação).
Mac teve um real encontro com Deus em seu último ano do ensino médio. (Foto: Divulgação).

A banda Third Day está em mais uma turnê. Juntos há 24 anos, eles já venderam oito milhões de CDs, ganharam quatro Grammys e mais de 20 Dove Awards (premiação da indústria da música cristã). Ao se preparar para partir para outra cidade, o vocalista Mac Powell, que havia ficado acordado a noite toda depois de tocar em um teatro cheio de fãs, falou com o site americano Christian Today sobre sua nova fase.

“Conheci Mac na Tailândia em um evento para líderes cristãos apaixonados por fazer a diferença para as crianças vulneráveis, onde ele estava levando a nossa adoração. O que me impressionou nele era tanto sua voz surpreendente e sua humildade surpreendente”, disse Krish Kandiah, um dos escritores do site.

“Vi Mac trabalhar ao lado de músicos locais. Eu testemunhei ele participar plenamente em toda a conferência e não apenas em acampar em um quarto como tantos líderes de louvor são tentados a fazer a este tipo de evento. Com sua enorme voz e espírito manso, Mac abriu espaço para uma entrevista comigo desde o ônibus de turnê até o próximo destino, apesar de quase uma hora de sono.

Como você sabia que você foi chamado para servir a Deus na música?

Eu tive uma experiência de reconversão no meu último ano do ensino médio. Eu tinha sido de uma igreja parte de minha vida, mas Ele só se tornou realmente pessoal para mim quando eu percebi que eu estava prestes a terminar o ensino médio e eu tinha de tomar decisões sobre o que eu ia fazer com a minha vida. Então, alguém me disse que eu deveria ler o livro de Romanos. Mesmo que eu tivesse ido à igreja toda a minha vida, eu tive que olhar para cima no índice dos livros. Mas descobri logo e li em seguida algo da simplicidade do evangelho que me surpreendeu e eu comecei um relacionamento com Jesus. Meu amigo Mark Lee e eu nos tornamos cristãos ao mesmo tempo e decidimos que queríamos compartilhar nossa fé e música. Isso parecia ser a melhor maneira de fazê-lo. Então, nós tocamos, tanto quanto podíamos em garagens e grupos de jovens da igreja. Aos poucos, mais e mais convites vieram e isso fez minha grande decisão de deixar a faculdade e fazer a música em tempo integral. O resto, como dizem, é história...

Que conselho você daria a alguém que se sente chamado para o ministério de música?

Não saia da faculdade! Também gostaria de dizer ore e toque. Ore por orientação de Deus, mas também toque - o mais rápido possível, em tantos lugares diferentes quanto possível, para testar o chamado.

Você mencionou que, embora tenha sido da igreja, você não tinha sido discipulado. O que fez a diferença para você na escola?

Bem, a nossa igreja não tinha nada no caminho da pastoral juvenil, mas houve uma pessoa que era apenas alguns anos à frente de nós e ele orientou o meu amigo e a mim. Para mim, foi a necessidade de ser fundamentado no triplo testemunho da Palavra de Deus, o Espírito de Deus e do povo de Deus, e nós tentamos ficar aterrados com todos os três o tempo todo. Eu ainda me mantenho firme a estas três coisas hoje.

Third Day está junto há 24 anos. O que é que lhe ajuda a manter isso?

Bem, a resposta espiritual é Jesus e é naturalmente verdade. Mas a outra razão é que temos obtido bons resultados em fazer isso e nós podemos fazer algo de bom pelo que fazemos. E também há o fato de que podemos apoiar as nossas famílias através do nosso trabalho.

Depois de todos esses anos, como você manter renova suas canções?

Bem, nós nunca tentamos ser uma banda legal que segue as tendências musicais. Nós gostamos de rock and roll e por isso estamos presos com isso. Quando eu era adolescente, eu tinha duas opções: The Beatles, Rolling Stones e Dylan no rádio ou a música em nossa igreja, que era um organista tocando uma versão de "bendita segurança". Queremos garantir que as pessoas tenham diferentes oportunidades quando se trata de adorar.

Qual é a história por trás da canção 'Soul on Fire'?

Eu tinha acabado de escrever todas as músicas do nosso novo álbum e nosso produtor disse que deveríamos ir para outra canção de adoração otimista. Ele sugeriu que eu ouvisse uma faixa de um cantor e compositor Sul Africano, Brenton Brown. Estranhamente, foi outra ligação de Inglês que me fez ter um outro olhar. Nós estávamos tocando na igreja Big Day Out em Sussex e eu dei-lhe uma escuta, acabei reescrevendo o verso e, em seguida, toquei ela para alguns amigos e de repente percebemos que tínhamos uma música de sucesso em nossas mãos. É uma das canções mais bem sucedidas que já fizemos. Foi número um por 11 semanas!

Alguns homens que eu conheço tem preocupação com a adopção, porque eles não têm certeza de que poderiam amar uma criança que não estejam biologicamente conectada. Qual é a sua resposta sobre isso?

Para ser honesto, essa foi a minha preocupação também. Eu pensei que era a coisa certa a fazer para adotar uma criança nacessitada. Mas eu achava que só poderia ser capaz de amar uma criança por uns 80%. Eu amo meus filhos de nascimento, mas acontece que eu me sinto muito perto de meus filhos adotivos. Meu mentor me disse algo que realmente me surpreendeu. Ele me lembrou que a adoção bíblica não pode ser desfeita. É para sempre. Isso me ajudou a compreender algo poderoso sobre a natureza do amor da adopção de Deus por nós, e como um pai de adoção, eu entendo isso num nível mais profundo como Deus se sente sobre nós. Deus nunca desiste de nós.

Siga-nos

Mais do Guiame

O Guiame utiliza cookies e outras tecnologias semelhantes para melhorar a sua experiência acordo com a nossa Politica de privacidade e, ao continuar navegando você concorda com essas condições