MENU

A educação faz a economia crescer?

A educação faz a economia crescer?

Atualizado: Quinta-feira, 24 Setembro de 2009 as 12

Durante o 18º Congresso Brasileiro de Economia o tema educação ganhou um dia de destaque. Os palestrantes Claudio de Moura Castro (ex-secretário executivo do CNRH – Conselho Nacional de Recursos Hídricos/IPEA – Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada), Márcio Pochmann (professor de Economia Social e do Trabalho, da Unicamp), Roberto Macedo (ex-secretário de política Econômica do Ministério da Fazenda) e José Pastore (membro da Academia Nacional de Economia do Rio de Janeiro) mostraram como é importante investir em educação para proporcionar maior cidadania e desenvolvimento econômico para o País.

Segundo Claudio de Moura Castro, um homem educado custa trabalho e tempo, mas com qualificação e produtividade todos os custos são supridos. "Uma sociedade onde muitos sabem fazer coisas técnicas é mais produtiva. Quanto mais a tecnologia muda o mundo, mais a educação de qualidade é essencial nos níveis mais baixos. Infelizmente, o Brasil ainda está retardatário nesta questão se comparado com outros países da América Latina."

O professor de economia, Márcio Pochmann, ressalta ainda que se o principal ativo na nossa sociedade é o conhecimento, a educação deve ser mais valorizada. "O que temos hoje são trabalhadores que estudam e não estudantes que trabalham. É absolutamente necessário que no século XXI as pessoas entrem no mercado de trabalho após os 25 anos, como os filhos dos ricos, financiados e pós-graduados. Praticamente tudo é online, por isso é preciso reflexão antes, exigindo o máximo de conhecimento antes de qualquer decisão".

De acordo com a previsão de Pochmann, o trabalho heterônomo (para sobreviver) no futuro representará 20% contra o autônomo. "Outro ponto importante para destacar é como a residência virou um depósito. As pessoas vivem sozinhas, sem se importar com a sociabilidade. A escola pode vir a ser esse lugar, e isto exigirá um novo fundo público para um bom estado do bem estar social", finaliza.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também