MENU

Aluna hostilizada em universidade acusa segurança de negligência

Aluna hostilizada em universidade acusa segurança de negligência

Atualizado: Sexta-feira, 6 Novembro de 2009 as 12

A universitária Geysi Arruda, hostilizada por estudantes da Universidade Bandeirante (Uniban) de São Bernardo do Campo, no ABC, por ir à faculdade de vestido curto, acusou um segurança da instituição de ter sido negligente no dia em que o tumulto ocorreu. A jovem foi ouvida na quarta-feira, 4, na Uniban, em sindicância interna que apura o incidente.

Segundo a defesa de Geysi, um segurança teria dito que a jovem estava com o vestido muito curto. "Ele deu lição de moral em vez de debelar a confusão", afirmou o advogado Nehemias Domingos de Melo. "Ele assumiu um lado, fato que não é esperado de uma autoridade", disse Mello.

O incidente aconteceu no dia 22 de outubro. O vestido usado por Geysi causou alvoroço na unidade, e a jovem teve de ser escoltada pela Polícia Militar até sua casa, em Diadema, também no ABC. O incidente foi gravado e colocado na internet. Desde então, a estudante tem evitado ir à universidade e ao trabalho.

De acordo com Melo, os advogados da aluna devem dar entrada com requerimento para pedir a abertura de inquérito policial para apurar o caso na próxima semana.

Sindicância

Os defensores da jovem criticaram a universidade pela forma como a aluna foi tratada durante o depoimento para a sindicância interna, que durou aproximadamente três horas. Segundo Melo, ela compareceu espontaneamente à unidade do Morumbi da universidade. ?A todo tempo, as perguntas dirigidas a Geisy demonstravam mais preocupação em saber detalhes de sua vida pessoal do que o esclarecimento dos fatos?, disse o advogado, em nota.

Em outro trecho da nota, ele afirma que a técnica de interrogatório ?se assemelhava, em tudo (..) com o procedimento adotado pela Santa Inquisição? pela repetição de perguntas que, segundo ele, tinha o objetivo de levar Geyse a cair em contradição.

Procurada pelo G1 para comentar o assunto, a assessoria de imprensa da instituição informou que aguarda o término da sindicância para se pronunciar.

Postado por: Felipe Pinheiro

veja também