MENU

Alunos aprendem a investir, ganham concurso e estimulam colegas

Alunos aprendem a investir, ganham concurso e estimulam colegas

Atualizado: Sexta-feira, 4 Dezembro de 2009 as 12

A partir da iniciativa de professores em apostar em tarefas diferenciadas, dois grupos de alunos de escolas estaduais de São Paulo ganharam prêmios essa semana por projetos que desenvolveram fora da sala de aula.

Um dos grupos, composto por cinco alunos do 3º ano do ensino médio, foi o vencedor do prêmio Desafio BMF&Bovespa. A competição consistia em simular investimentos na bolsa de valores. ''Essa vitória ajudou a se sentirem mais requisitados, respeitados e valorizados'', disse o professor de matemática Antônio Dorival Pereira Leite.

Foi ele quem teve a idéia de inscrever os estudantes no prêmio e orientá-los durante a tarefa. O resultado também causou uma espécie de efeito dominó em outros jovens da escola, que ficaram orgulhosos com a vitória dos colegas, e passaram a se sentir mais confiantes de sua capacidade. ''A confiança é primordial para o aprendizado'', avalia Antônio.

O professor conta que, em princípio, o grupo não queria participar. ''Eles não se sentiam capacitados, sobretudo porque iam concorrer com alunos de escolas particulares''. Os cinco vencedores estudam na escola estadual Professor Tenente Ariston de Oliveira, localizada na zona sul da capital paulista.

Antônio diz que costuma apostar em atividades diferentes que estimulem o raciocínio lógico dos estudantes. ''Eles nem sabiam o que era a Bovespa antes de entrarem no concurso'', complementa. ''Agora há, entre eles, quem pense em se tornar investidor''.

Cada um dos estudantes ganhou R$ 5 mil e a maioria deles vai guardar o dinheiro para a faculdade. ''O mérito foi mostrar a esses jovens, que moram em região muito carente, que eles têm capacidade para fazer aquilo que quiserem''.

Política

Longe dos negócios e da matemática desta vez, outro exemplo de sucesso é o dos 60 alunos de Sorocaba (SP) que elaboraram um documentário sobre política no ano passado. Eles receberam o prêmio Construindo a Nação, do Instituto de Cidadania do Brasil, nesta semana. O ''Apolitikós'', como foi batizado o filme, venceu outros 279 trabalhos inscritos.

O documentário foi elaborado entre agosto e setembro de 2008, por alunos do 1º ano do ensino médio e da 8ª série do ensino fundamental da escola estadual Ageu Pereira do Amaral. A professora de história que coordenou o trabalho, Célia Almeida, foi quem tomou a iniciativa de inscrever o trabalho.

''Atividades de campo estimulam a criatividade', diz Célia. Os estudantes saíram às ruas da cidade questionando os moradores sobre candidatos preferidos, partidos e projetos políticos. ''Eles se surpreenderam porque a maioria era desinformada''.

A idéia agora, conta a professora, é apresentar o filme a alunos de outras escolas para trazer discussões sobre a importância da consciência política. ''O objetivo não é levantar discussões partidárias, mas conscientizar os jovens sobre a importância do voto e lembrá-los de que ele não acaba na urna'', finaliza.

Por Érica Polo

veja também