MENU

Alunos de escolas públicas aprendem a restaurar patrimônios

Alunos de escolas públicas aprendem a restaurar patrimônios

Atualizado: Quinta-feira, 8 Julho de 2010 as 10:14

Trinta alunos de escolas públicas moradores de Olinda, Paulista, Recife e Jaboatão dos Guararapes, em Pernambuco, participaram de um curso sobre preservação de patrimônios culturais e históricos. O projeto, chamado de Preservando Culturas, habilitou os jovens, com idades entre 16 e 24 anos, a atuarem como restauradores.

A capacitação de 420 horas foi iniciada em fevereiro. As atividades serão concluídas na próxima sexta-feira (9), na Basílica Nossa Senhora Penha, no Recife, tombada recentemente, que serviu de local para as aulas.

A seleção dos adolescentes foi feita levando em consideração três critérios: estar matriculado na rede pública de ensino; não ter renda fixa; e ser morador de áreas com alto índice de violência. Outro critério avaliado, através de uma dinâmica realizada pela coordenação do projeto, foi a paciência dos adolescentes, condição básica para o exercício da função de restaurador.

Os alunos que participaram da capacitação foram beneficiados com uma bolsa de R$ 100, alimentação diária, passagem, fardamento e material didático.

Além de aulas teóricas de português, de história da arte e sobre a cultura pernambucana, os adolescentes tiveram noções práticas da profissão de restaurar. Entre as técnicas trabalhadas, os alunos aprenderam a a aplicação de folhas de ouro, técnicas de pintura, tipos de tinta, execução de restauro de marmorino, entre outras.

O grupo também visitou centros históricos de Pernambuco e acompanhou a restauração da Basílica de Nossa Senhora da Penha, no Recife.

O projeto Preservando Culturas integra uma das linhas de ações do programa Células Culturais desenvolvido pela Fundação do Patrimônio Histórico de Pernambuco (Fundarpe). O curso recebeu apoio do Ministério da Cultura e foi executado pelo Centro de Estudos Avançados da Conservação Integrada (Ceci) por meio de parcerias com as prefeituras de Olinda, Jaboatão, Recife e Paulista e da Associação Nacional de Desenvolvimento Humano e Social (Andhus).

veja também