MENU

Bolsista de projeto de incentivo vai prestar ciências sociais

Bolsista de projeto de incentivo vai prestar ciências sociais

Atualizado: Sábado, 26 Novembro de 2011 as 10:17

Nathalia Cardoso recebe bolsa e financiamento de

programa de incentivo (Foto: Arquivo pessoal) Nathalia Cardoso, de 18 anos, passa mais tempo dentro da Cidade Universitária, na Zona Oeste de São Paulo, do que na própria casa, no Jardim Vergueiro, extremo sul da capital.

A jovem, que neste domingo (27) concorrerá com mais de 1.100 candidatos a uma das 210 vagas no curso de ciências sociais da Fuvest, faz cursinho na Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA), em um programa especial da Fundação Instituto de Administração (FIA) uma fundação da Universidade de São Paulo (USP) para jovens carentes.

Ela tenta a Fuvest pela segunda vez. Na primeira, saída do ensino médio da rede pública, não conseguiu a vaga. Para conquistar o sonho de ingressar na carreira de ciências sociais, ela sai de casa todas as manhãs às 6h e leva uma hora e meia em dois ônibus até a USP. Passa o dia inteiro em aulas do curso da FIA e, após as 18h, estuda na biblioteca da Escola de Comunicações e Artes (ECA), também na Cidade Universitária.

Às 21h, ela inicia o caminho de retorno. Para não andar sozinha pelo campus escuro, pega um ônibus com amigas e segue de trem até seu bairro, onde chega por volta das 22h30.

Aos sábados, Nathalia retorna à Cidade Universitária para as aulas do curso Redigir. Organizado por estudantes da ECA para jovens e adultos, o curso oferece aulas de redação e gramática como ferramentas para o exercício da cidadania.

Bolsa e financiamento

A candidata à Fuvest consegue se dedicar integralmente à preparação para o vestibular porque foi aceita, no início do ano, no Programa Diversidade, do grupo Unilever. Até 2015, ela recebe financiamento e bolsa-auxílio para poder concluir o ensino superior.

"Eles dão bolsa, vale-transporte, dão toda uma base para a gente poder estudar", explicou Nathalia, que foi indicada para o projeto por uma ONG que atua na região do Jardim São Luiz, na periferia paulistana. "Gostaram muito do meu desempenho durante um curso."

Nathalia paga a mensalidade escolar da irmã

Juliana, de seis anos (Foto: Arquivo pessoal) Nathalia recebe R$ 600 por mês, além de ter o transporte e a alimentação na USP custeados. Além disso, o programa financia a mensalidade em universidades particulares, caso ela escolha estudar em uma delas. Por isso, a estudante também concorre a uma vaga em jornalismo na Pontifícia Universidade Católica (PUC-SP) e na Faculdade Cásper Líbero, que quer cursar paralelamente ao curso na USP.

Em troca, a jovem vai fazer um período de estágio em uma das empresas do grupo.

Enteada de um funcionário administrativo - que era vendedor, mas mudou de emprego por motivos de saúde - e filha de uma dona de casa que precisou abandonar o trabalho para cuidar da filha pequena, Nathalia, assim como a irmã mais nova, de 14 anos, não pôde estudar na rede privada.

Por isso, além de ajudar nas contas de casa, a jovem separa R$ 250 de sua bolsa-auxílio para pagar a mensalidade em uma escola particular para a irmã de seis anos. "Quero que ela passe na Fuvest direto, e não precise fazer cursinho, igual a irmã dela."

A prova

A primeira fase do vestibular da Fuvest será aplicada neste domingo (27). São 61 locais na Grande São Paulo e 53 no Interior do Estado de São Paulo, totalizando 114 pontos. A chegada à escola deverá ocorrer até 12h30, o exame começa a partir das 13h. Não serão admitidos retardatários.

A prova conterá 90 questões de múltipla escolha. A segunda fase vai de 8 a 10 de janeiro. Outras provas de habilidades específicas ocorrem de 11 a 13 de janeiro. O resulltado sai em 4 de fevereiro, com matrícula em 8 e 9 de fevereiro.        

veja também