MENU

Brasil leva especialização a angolanos

Brasil leva especialização a angolanos

Atualizado: Quarta-feira, 28 Maio de 2008 as 12

O Ministério da Educação deu início na segunda-feira, 26 de maio, à primeira etapa de um curso de especialização para 30 técnicos do Instituto Nacional de Desenvolvimento da Educação de Angola, país de língua portuguesa do sudoeste da África. O curso, nessa etapa, que se estenderá até sexta-feira, 30, é ministrado em Luanda, capital do país, por especialistas brasileiros na área curricular, sob a coordenação da Secretaria de Educação Básica (SEB/MEC).

A oferta da especialização, segundo Magda Ribeiro Coelho, da Assessoria Internacional do MEC, integra uma série de atividades educacionais decorrentes de acordos de cooperação assinados entre Brasil e Angola. O curso tem duração de 18 meses, ministrado em três períodos presenciais de uma semana cada um, mais atividades a distância, sob a coordenação de Sandra Pagel e Aricélia Ribeiro do Nascimento, da SEB.

Na primeira etapa presencial, os técnicos angolanos receberão formação sobre currículo e temporalidades humanas no cotidiano da escola, ministrada por Jaime Bachmann, professor de estudos sociais da Fundação Universitária do Desenvolvimento do Oeste de Santa Catarina, e sobre currículo, conhecimento e cultura, com a professora Antônia Pereira dos Santos, especialista em administração escolar da Universidade Católica de Brasília.

A segunda fase, de 25 a 29 de agosto, vai abordar currículo e organização dos tempos e espaços escolares, com Nilma Lino Gomes, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal de Minas Gerais, e currículo, alfabetização e letramento, com Telma Ferraz, professora adjunta do Centro de Educação da Universidade Federal de Pernambuco, e com Cecília Goulart, professora da Faculdade de Educação da Universidade Federal Fluminense.

A última parte do curso, de 8 a 12 de dezembro, terá os temas currículo e processos de aprendizagem, com Maria Isabel Ferraz Pereira Leite, professora do programa de pós-graduação em educação da Universidade do Extremo Sul Catarinense; currículo e avaliação do ensino-aprendizagem, com Cláudia de Oliveira Fernandes, professora da Universidade Federal do Estado do Rio de Janeiro, e currículo e educação especial, tema ainda sem especialista confirmado. Ao final do curso, os estudantes vão apresentar ao governo de Angola uma proposta curricular para a educação básica.

O país

Angola foi colonizada por Portugal no século 15 e se tornou independente em 1975. Tem hoje 12,2 milhões de habitantes e uma área de 1,2 milhão de quilômetros quadrados, com 18 províncias. É um país rico em petróleo e diamantes, mas ocupa o 162º lugar no índice de desenvolvimento humano.

O país africano mantém com o MEC diversos acordos de cooperação, um deles, com a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes/MEC) e com a Fundação Osvaldo Cruz (Fiocruz), que oferecem mestrado em saúde pública, em parceria com a Universidade Agostinho Neto, de Luanda.

veja também