MENU

Campinas: 40% dos alunos têm sobrepeso; prefeitura muda merenda

Campinas: 40% dos alunos têm sobrepeso; prefeitura muda merenda

Atualizado: Terça-feira, 30 Novembro de 2010 as 10:50

Exames feitos nos alunos da rede municipal de ensino de Campinas (SP) indicam que 40% dos estudantes estão com sobrepeso. O esforço da prefeitura visa evitar que os jovens adquiram doenças cardiovasculares e que, em casos mais graves, como obesidade mórbida, colesterol alto e hipertensão, recebam atenção do Centro de Saúde.

A Escola Municipal do Ensino Fundamental Dr. Edson Luis Chaves, no Jardim Santa Rosa, em Campinas (SP), foi uma das instituições de ensino do município que tiveram exames na semana passada. Na sexta-feira (26) os 900 alunos matriculados do 1º ao 9º ano foram chamados a participar de uma avaliação de saúde. Aos poucos, pequenos grupos foram encaminhados à sala de informática, "transformada" em consultório médico.

Ali agentes de saúde da Prefeitura submeteram os estudantes a uma bateria de exames: aferição da pressão arterial, frequência cardíaca, medição da circunferência abdominal e retirada de sangue para verificação do nível da glicose, colesterol e triglicerídeos. Ao decorrer da semana 8 mil alunos matriculados em onze escolas municipais terão passado por essas etapas que visa apontar como está a saúde dos estudantes.

De acordo com o secretário de Saúde, José Francisco Kerr Saraiva, o quadro de sobrepeso já foi verificado no primeiro semestre quando os alunos foram submetidos somente a aferição de peso e altura. Agora, os testes querem antecipar o perigo de adquirir doenças cardiovasculares. Além disso, o objetivo será direcionar ações como a alteração no cardápio da merenda escolar e aumento de práticas de atividades físicas. Casos considerados mais graves, como obesidade mórbida, colesterol alto e hipertensão serão direcionados aos Centro de Saúde.

"A obesidade é o principal fator de risco cardiovascular. E nosso objetivo é prevenção de doenças", disse Kerr Saraiva. Segundo o secretário, criança com sobrepeso pode ser no futuro um adulto obeso com diabetes, pressão alta e com dislipidemia (colesterol e triglicerídeos acima do normal). A vice-diretora da escola, Cristiane Tereza Bueno, conta que a partir dos resultados da primeira avaliação foi alterado o cardápio servido na escola e implantado o aumento de mais duas aulas de educação física. Hoje, a merenda está mais saudável composta por frutas e legumes frescos fornecidos diretamente pela Ceasa (Central de Abastecimento S/A) de Campinas. Por dia a Ceasa, envia 240 mil refeições à rede de ensino da cidade.

"É comum as crianças comerem a merenda na escola e depois almoçar em casa. Já enviamos questionários aos pais e isso foi verificado", conta ela. A vice-diretora lembra que o vilão para o aumento do peso nas crianças está no consumo de alimentos industrializados em geral com alto teor de gordura, açúcar e sal e ingestão de refrigerantes.

O aluno do 3º ano Mateus Resende Matias, 8 anos, disse que conhecia alguns dos exames mas nunca fez todos de uma vez. "Achei legal e diferente". O menino contou que gosta de comer de tudo na merenda e na sua casa, menos cebola. A sua coleguinha, Tauane Maia da Silva, também com 8 anos, ficou com receio do teste de glicemia. A agente de saúde explicou que ia "arder só um pouquinho" para colher um gotinha de sangue. "Nunca tinha feito assim", falou a garota, depois tentando localizar o minúsculo orificio no seu dedo indicador.

veja também