MENU

Campo Grande (MS) sedia Conferência Intermunicipal de Educação

Campo Grande (MS) sedia Conferência Intermunicipal de Educação

Atualizado: Sexta-feira, 19 Junho de 2009 as 12

Pais, alunos, professores, gestores e representantes das comunidades em geral dos municípios de Campo Grande, Corguinho, Jaraguari, Rochedo e Terenos, participam hoje, 19 de junho, e amanhã, dia 20, durante todo o dia, da Conferência Intermunicipal de Educação, que servirá de base para a conferência estadual, no segundo semestre do ano e depois para a etapa maior: a Conferência Nacional de Educação, que será realizada em Brasília, de 23 a 27 de abril de 2010. O objetivo dessas três fases é levantar propostas para um novo Plano Nacional de Educação.

Mato Grosso do Sul foi dividido em 18 polos onde estão sendo realizadas as conferências intermunicipais. Hoje e amanhã será a vez de Campo Grande e região. O encontro será no Centro Universitário de Campo Grande - Anhanguera/UNAES, das 8h00 às 17h30. Toda sociedade está convidada para participar desse importante processo de melhoria da qualidade do ensino brasileiro.

Em Mato Grosso do Sul, os professores Eduardo Botelho, presidente da FITRAE (Federação Interestadual dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino nos Estados de Mato Grosso e Mato Grosso do Sul e o professor Tedorico Fernandes, secretário Geral do SINTRAE/MS (Sindicato dos Trabalhadores em Estabelecimentos de Ensino no MS), são representantes do setor privado de educação na conferencia. Eles pretendem incluir o setor privado, em todas as discussões.

Eduardo Botelho informou que de acordo com a programação dos trabalhos de hoje, a abertura está prevista para as 8h30 e logo em seguida, a deputada Marisa Serrano (PSDB) fará uma palestra abordando o tema: Perspectivas da educação no Brasil. Depois será feita a apresentação e aprovação do regimento interno da Conferência Intermunicipal de Educação.

Às 10h15 as professoras MsC. Elisa Emília Cesco e Esp. Maria Cristina Possari Lemos vão falar sobre o tema: "Construindo o Sistema Articulado da Educação: O Plano Nacional de Educação, Diretrizes e Estratégias de Ação". O tema deverá ser debatido em plenário pelos congressistas; Às 11h20 haverá mesa redonda para apresentação dos eixos temáticos pelos coordenadores das salas. Após o almoço, a partir das 14 horas, os eixos temáticos serão discutidos nas salas de aula.

Eva Maria Katayama Negrisolli é a coordenadora da Comissão Organizadora da Conferência Intermunicipal de Educação – Pólo Campo Grande. Segundo ela, a programação para amanhã começa logo cedo, às 8h30 com discussão dos eixos temáticos e elaboração do relatório para apresentação na plenária que começa após o almoço, ou seja a partir das 13h30. Às 16h30 haverá reunião dos segmentos para escolha dos representantes que participarão da Conferência estadual de Educação, que será realizada no segundo semestre deste ano. O encerramento dos trabalhos, no sábado, está previsto para as 17h30.

Ricardo Froes, presidente do SINTRAE/MS, disse que esta é a primeira vez que o Estado brasileiro, em caráter institucional, convoca uma atividade desse porte. Em outras ocasiões, segundo ele, a própria sociedade civil se articulou para promover discussões que tinham como tema central a educação, como na realização dos CONEDs (Congresso Nacional de Educação), que culminaram com a elaboração de um Plano Nacional de Educação (PNE) da sociedade brasileira. Posteriormente combatido, tanto pelo Poder Executivo, como pelo conservador Congresso Nacional. Por isso, a expectativa é grande a partir dessa primeira etapa intermunicipal.

O sindicalista explicou que a participação de toda sociedade nesse processo é de fundamental importância para que tenhamos amanhã melhor qualidade do ensino. "As pessoas não podem deixar passar essa oportunidade de discutir e apresentar sugestões. É um momento histórico", afirmou.

Para Eduardo Botelho, "a Conferência parece ser a mais concreta oportunidade de promover um debate capaz de viabilizar a criação de um verdadeiro Sistema Nacional articulado de Educação, baseado na defesa da educação como direito de todos, um bem público e um dever do Estado, e que garanta a necessária regulamentação do setor privado, a fim de combater a mercantilização e a desnacionalização da educação em nosso País".

veja também