MENU

'É como se fosse a primeira vez', diz aprovada em 4 vestibulares da USP

'É como se fosse a primeira vez', diz aprovada em 4 vestibulares da USP

Atualizado: Quarta-feira, 9 Fevereiro de 2011 as 11:59

Desde que terminou a escola, em 1993, Vanessa Araujo Rodrigues viu seu nome no listão da Universidade de São Paulo (USP) quatro vezes. Aprovada para o curso de matemática em 1995, 2002, 2009 e 2011, ela garante que a emoção de passar num dos vestibulares mais concorridos do país não diminui com o tempo.

“Nem parece que é a quarta. É como se fosse a primeira vez. Na verdade, acho que é ainda mais [emocionante] do que as outras, por causa do apoio do meu marido”, disse Vanessa. Aos 34 anos, ela espera enfim poder se dedicar ao curso que acabou largando nas outras três vezes em que foi aprovada.

Após os dois primeiros vestibulares, a maternidade acabou adiando os planos de estudo de Vanessa. Aprovada em 1995, cursou por um ano, mas acabou desistindo após o nascimento da primeira filha, Mariana, em 1996. Em 2002, nem recomeçou a faculdade. “Descobri que estava grávida e a Luiza nasceu em 2003. De novo, não deu”, lembra. Em 2009, ela voltou novamente às salas de aula, mas não conseguiu conciliar a rotina de estudos com a da casa e a administração de um bar na Vila Madalena, em São Paulo, e não terminou o primeiro semestre.

“Agora eu vou fazer”, garante. A força para realizar seu sonho é reafirmada pelo apoio do marido, Arlindo Carneiro, que enviou a foto acima ao VC no G1. “Ele me ajuda muito. No vestibular, foi como um pai preocupado, me levando e buscando nas provas. Durante as aulas, ele vai cuidar das meninas”, conta.

Vanessa quer ser professora, mas também diz ter interesse em trabalhar com desenvolvimento de jogos casuais feitos para internet. “Mas isso é depois. Primeiro, quero dar aula. Sempre quis”, relata.

Estudo em casa

Para ter seu nome no listão pela quarta vez, ela repetiu a fórmula das outras vezes: estudo em casa. “Só fiz cursinho no ano seguinte ao fim da escola, em 1994. Depois, estudei em casa mesmo, com apostilas. E foquei em matemática e física, porque eu gosto e para garantir a pontuação”, revela.

O desempenho de Vanessa no vestibular já inspira as filhas. Luiza (ao lado de Vanessa na foto abaixo), de sete anos, acompanhou de perto os estudos da mãe enquanto fazia os deveres da escola. Aluna do 1º ano do ensino médio, Mariana, de 14, ainda não sabe para qual curso vai prestar vestibular, mas já sente a responsabilidade de seguir os passos da mãe. “Ela acha que tem que passar na USP. Eu falo que tem que ser uma pública, porque já investimos muito em escola particular para elas”.   Por: Mirella Nascimento

veja também