MENU

Currículo de curso técnico fora do país exige atenção

Currículo de curso técnico fora do país exige atenção

Atualizado: Segunda-feira, 13 Dezembro de 2010 as 3:39

Para quem deseja cursar técnico em outro idioma, uma opção é ir para o exterior. Lá, além de aprimorar conhecimentos específicos, o estudante pode vivenciar a cultura de outro país.

Se essa for a escolha, ter nível avançado do idioma é requisito básico, e o candidato deve ficar atento à duração e ao conteúdo dos cursos.

Segundo o Ministério da Educação, o aluno deve validar o diploma do curso técnico quando voltar ao Brasil, em uma instituição de ensino técnico pública brasileira. Para isso, é preciso que o conteúdo e a carga horária sejam semelhantes aos cursos similares no Brasil.

Para Maura Leão, presidente da Belta (associação de viagens educacionais), é recomendado apostar em cursos superiores a seis meses ou nos de período integral.

Há quem não invista no reconhecimento do certificado no Brasil, como a supervisora de viagens internacionais Mel Lorenzo, 32.

Depois de fazer graduação em turismo no Brasil, embarcou para a Austrália para um curso técnico de quatro meses na área. Ao voltar, conseguiu emprego em uma agência de intercâmbio.

"[Os professores] mostraram dados de mercado que eu não conhecia", diz ela, que aprovou a experiência. O engenheiro Josias Bueno, 25, também cursou técnico após a graduação. Rumou para o Canadá, onde teve três meses de negócios internacionais em período integral.

"Fui contratado por uma multinacional [ao retornar]."    

veja também