MENU

Debates e exibição de filmes dão caráter multidisciplinar à Semana do Meio Ambiente

Debates e exibição de filmes dão caráter multidisciplinar à Semana do Meio Ambiente

Atualizado: Quinta-feira, 5 Junho de 2008 as 12

A USP realiza, na Semana do Meio Ambiente (2 a 6 de junho) da USP: água, resíduo, energia. Com a reflexão ''Quem vai pagar pra ver? Uma vida sustentável para nós e para as futuras gerações'', a semana quer fazer repensar hábitos, costumes e valores que estão levando o planeta para um futuro com escassez de água e energia, e produção de lixo em excesso. As atividades acontecerão no Cinusp Paulo Emílio e no Anfiteatro da Escola Politécnica. Confira abaixo a programação.

A organização da semana foi feita conjuntamente por três programas de caráter ambiental que atuam dentro da Universidade: o Programa USP Recicla, o Programa de Uso Racional da Água (Pura), e o Programa Permanente para o Uso eficiente de Energia (Pure).

A intenção da organização é a conscientização aliada ao entretenimento. Durante a semana serão exibidos filmes como os documentários Ilha das Flores e Uma Verdade Inconveniente, além de filmes sobre questões mais amplas, como a globaização, questões indígenas e urbanização. Ao final dos filmes, especialistas em diversas áreas, de dentro e de fora da USP, debaterão com o publico os temas expostos nas projeções.

USP Recicla

Paulo Diaz, educador do USP Recicla, dá uma idéia da proximidade dos problemas ambientais, e do quanto nós colaboramos com isso: ''A Universidade precisa estabelecer normas do que ser feito com o seu lixo. Hoje as lâmpadas, que têm mercúrio, não recebem atenção especial, e podem parar nas mãos de catadores, interessados no alumínio delas''.

O USP Recicla trabalha com a ''política dos três Rs'': reduzir, reutilizar e reciclar. ''Apesar do nome do programa, a reciclagem é apenas a última política a ser empregada no manejo dos materiais. Nossa principal briga é contra o desperdício'', conta Diaz.   

O educador afirma que algumas normas e formas do trabalho na USP poderiam ser revistas, como a permissão para a impressão frente-e-verso em dissertações e teses, para economizar papel - o papel representa 70% do lixo gerado na USP. ?A gestão de resíduos deve ser pensada no ensino, na pesquisa e na extensão, e também na gestão da Universidade?.

Programação

Confira a programação do evento. O Auditório Professor Paulo Ribeiro de Arruda fica na Escola Politécnica (Poli), localizada na Av. Prof. Luciano Gualberto, trav.3, 158, Cidade Universitária, São Paulo. Os filmes e debates acontecem no Cinusp, na Rua do Anfiteatro, 181, Colméia, Favo 4, também no campus Butantã. A participação é gratuita e aberta ao público.

4 de junho

Cinusp Paulo Emílio

16h - Narradores de Javé (100 min); Encontro com Milton Santos ou o mundo global visto do lado de cá (89 min). Debate com Maria Laura Silveira, geógrafa da USP.

5 de junho

Cinusp Paulo Emílio

16h - Mudanças do clima, mudanças de vida (15 min); Uma verdade inconveniente (100 min). Debate com Paulo Artaxo, professor de física do Instituto de Física (IF) da USP e membro de diversos painéis científicos internacionais; e Ricardo Baitelo, engenheiro doutorando pela USP e coordenador da campanha de energias renováveis do Greenpeace.

6 de junho

Cinusp Paulo Emílio

16h - Arraial do cabo (17 min); O pesadelo de Darwin (109 min).

18h20min- Sociedade do automóvel (39 min). Debate com Marco Aurélio Lagonegro, arquiteto, urbanista e professor, doutor pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP.

veja também